Plano de economia circular de Aguaduna avança com soluções de independência energética da Enel X e de uso otimizado de água da Cetrel

Plano de economia circular de Aguaduna avança com soluções de independência energética da Enel X e de uso otimizado de água da Cetrel

Imagem: Divulgação Aguaduna | Com a premissa de utilizar inovação, tecnologia e conectividade em benefício da comunidade, Aguaduna é a 1ª de uma nova geração de cidades inteligentes e sustentáveis

• Localizado no Nordeste brasileiro, projeto de cidade resiliente e livre de emissão de carbono anuncia dois novos parceiros estratégicos – Enel X e Cetrel – para se fortalecer como referência em economia circular nos pilares de abastecimento energético e consumo sustentável de água.

• Sistemas inteligentes voltados à produção local e descentralizada de energia somam-se a técnicas avançadas de gestão de dados para otimizar o uso e o reaproveitamento de recursos hídricos, ajudando Aguaduna a reduzir em 50% o consumo de água e a diminuir as emissões.

A escassez de água e o aumento da seca e da desertificação são algumas evidências tangíveis das mudanças climáticas ao redor do mundo. Esse cenário tende a se tornar mais desafiador para as grandes cidades, que a partir de 2050 concentrarão 68% da população mundial. Embora seja considerado a maior potência hídrica do planeta, o Brasil tem apresentado níveis historicamente baixos em seus reservatórios – provocados também pela falta de chuvas e por desafios relacionados à gestão dos recursos hídricos.

O país vive hoje a pior situação em 91 anos dos reservatórios do Sudeste e Centro-Oeste, que estão abaixo de 30% de sua capacidade (bem abaixo da média de 64% nas últimas duas décadas) e onde ficam as hidrelétricas responsáveis pela maior parte da geração de energia no território nacional. Em 2001, ano em que o Brasil adotou o racionamento de energia, o nível dos reservatórios chegou ao mesmo patamar (29%). A piora na estiagem fez com o que o governo federal contratasse energia das usinas termelétricas, que são mais caras e mais poluentes.

A busca por modelos de cidades mais sustentáveis também passa pelas energias renováveis – o primeiro passo para alcançar um modelo de energia circular e eficiente, mas não o único. De acordo com o Renewables 2020 Global Status Report, o relatório mais proeminente do mundo sobre energia renovável, em 2018, 26,2% da eletricidade gerada globalmente veio de fontes renováveis, índice que deve aumentar para 45% em 2040.

Todos esses desafios têm exigido cada vez mais a adoção de soluções circulares, baseadas na reutilização ou reaproveitamento de recursos, para reduzir consideravelmente o seu consumo e orientar a sua utilização para um modelo mais sustentável e eficiente. Para colocar essa estratégia em prática, surgem novos modelos de cidades resilientes e livres de emissão de carbono.

A campanha mundial “Construindo Cidades Resilientes”, lançada pela ONU em 2010, defende que é preciso tornar os municípios capazes de resistir, absorver, adaptar-se e recuperar-se dos efeitos de um perigo de maneira tempestiva e eficiente. Além da preservação e restauração de suas estruturas básicas e funções essenciais, essa nova visão sobre as cidades também deve promover a qualidade de vida dos habitantes por meio da inteligência, planejamento, participação popular e aprimoramento da gestão de recursos hídricos.

Aos poucos, projetos baseados nessa filosofia começam a sair do papel. E um dos primeiros está localizado no Nordeste brasileiro, mais especificamente no município de Entre Rios, no litoral norte do Estado da Bahia. Em busca de fortalecer o seu objetivo de recuperar o equilíbrio entre a sociedade e a natureza, visando melhorar a qualidade de vida de seus habitantes e preservar o entorno natural, Aguaduna segue conquistando avanços importantes em seu plano global de economia circular.

“A economia circular é a base da construção de um novo modelo de cidade resiliente e livre de emissões de carbono. Isso passa necessariamente por soluções avançadas e inovadoras para garantir o abastecimento energético a partir de fontes renováveis, assim como a utilização mais inteligente e sustentável da água potável e da água de reuso para diversas finalidades”, afirma o empresário espanhol Tarek Al Masri, sócio da Seed Global Advisoring (SGA) e um dos responsáveis pelo projeto de Aguaduna.

Com a premissa de utilizar a inovação, a tecnologia e a conectividade em benefício da comunidade, o projeto intensificou ainda mais o seu foco em adotar práticas sustentáveis para o abastecimento de energia elétrica e o uso da água por meio da expansão de sua gama de parceiros estratégicos. Para essas infraestruturas, duas novas alianças acabam de ser firmadas. Juntam-se ao empreendimento:

  • A Enel X Brasil, empresa de soluções avançadas de energia da multinacional italiana Enel. A companhia estará à frente dos estudos e soluções dos sistemas de geração e distribuição de energia elétrica de Aguaduna, a partir de fontes renováveis de energia. Adicionalmente, a Enel X desenvolverá soluções, produtos e serviços de tecnologia integrada aplicada aos espaços públicos e à mobilidade elétrica e compartilhada, assim como às edificações inteligentes e sustentáveis de uma Smart City;
  • E a Cetrel, companhia com quase 40 anos de atuação no Brasil. Será responsável pelos estudos de recursos hídricos da localidade e pelas soluções e serviços de fornecimento de água, além do tratamento e disposição final dos efluentes e resíduos industriais. Também fará a distribuição, otimização e reuso de água e o total monitoramento ambiental do projeto.

Dessa forma, Aguaduna busca se tornar um dos primeiros projetos globais a adotar, desde o início, a filosofia de cidade resiliente e livre de emissão de carbono. Por meio de parcerias estratégicas com empresas reconhecidas, o empreendimento pretende contar com sistemas inteligentes dedicados à produção local e descentralizada de energia, buscando uma maior independência energética, assim como a redução das emissões de carbono e outros gases que afetam o ecossistema. A cidade também procura implementar técnicas avançadas de gestão de dados para viabilizar um ciclo otimizado de uso e reaproveitamento da água.

A Enel X e a Cetrel se juntaram à Siemens e à SegurPro dentre os parceiros que ajudarão Aguaduna a se tornar um modelo inovador de cidade inteligente. O compromisso de todas as empresas ativadoras do projeto vai além da implementação de tecnologias que se enquadrem ao seu perfil técnico e inclui a geração de empregos, a capacitação e atração de profissionais e a contribuição direta para melhorar o ambiente natural e a biodiversidade da região.

“Todas essas parcerias estão 100% de acordo com o objetivo de desenvolver um novo modelo de cidade inteligente que valoriza as pessoas, a sociedade e a natureza”, diz Tarek Al Masri.

Independência energética

A adoção de soluções inovadoras voltadas às áreas de energia e água está alinhada ao sistema de economia circular que fará parte do projeto de Aguaduna. Entre as iniciativas a serem implementadas pelo projeto está a produção de biogás. A partir da transformação de qualquer resíduo em recursos energéticos, tanto os restos orgânicos do sistema de tratamento de águas quanto o recolhimento de resíduos urbanos serão utilizados na formação de biogás. A iniciativa atenderá a demanda por energia térmica dentro e fora dos limites do empreendimento.

Aguaduna será inteiramente alimentada por fontes renováveis de energia, tendo como base a produção local descentralizada e em menor escala. Toda a energia produzida pode ser gerenciada e distribuída por meio de sistemas inteligentes, a fim de reduzir as perdas e atender a oferta e a demanda de forma mais sustentável. Nesse sistema de energia circular, os principais benefícios são a maior independência energética, a redução das emissões e do desperdício de energia e a criação de empregos ligados à operação do sistema de geração local.

O projeto também prevê a autogeração de energia por meio de campos de captação fotovoltaica, todos ligados ao mercado verde, que garante a origem renovável da produção. Fontes renováveis internas e externas também ajudarão a alimentar equipamentos de ar condicionado e sistemas de mobilidade sustentável – mas sem comprometer a meta de construir um espaço livre de emissões de CO2, o que fará com que a demanda estimada por habitante seja de 7 kWh por dia.

Otimização do uso da água

Já em relação à utilização de água e águas residuais, Aguaduna implementará as técnicas mais avançadas de gestão de dados para um ciclo otimizado desses recursos. Para isso, serão implementados modernos sistemas de eletrificação, automação e digitalização integrada, a fim de obter o melhor desempenho energético e reduzir o índice de perdas.

Esse sistema local de abastecimento hídrico trará benefícios como a redução da poluição e das emissões, maior resiliência climática e o fornecimento de água de qualidade a toda a população.

A expectativa é reduzir em 50% o consumo de água esperado para um projeto desse porte.

A digitalização e o uso de dados permitirão construir uma reprodução digital do sistema, pela qual os gestores do empreendimento poderão antecipar eventuais problemas e realizar treinamentos a partir de simulações, de acordo com a demanda por consumo de água detectada em tempo real. Essa iniciativa facilitará a adoção de novas tecnologias para otimizar e reduzir custos da operação.

Aguaduna também contará com um sistema autossuficiente de captação de águas subterrâneas, superficiais e marinhas, com pavimentação permeável para realimentar o lençol freático. Além disso, um sistema de detecção de quebras e perdas na rede de distribuição de água minimizará o desperdício do volume distribuído para índices inferiores aos países mais avançados.

Haverá ainda recursos de captação e reaproveitamento da água da chuva para irrigar áreas de paisagismo e do sistema alimentar; soluções para recirculação de águas cinzas; tratamento de efluentes para irrigação de áreas verdes e plantações de produtos agrícolas; e reaproveitamento de lodo, visando a produção de biodiesel, biogás e substrato para fertilização de lavouras.

Enel X

Líder global no setor de soluções de energia avançada e que tem a economia circular no centro da estratégia, a Enel X é uma linha de negócios global do grupo Enel dedicada ao desenvolvimento de produtos inovadores e soluções digitais em setores onde a energia está mostrando o maior potencial de transformação: cidades, residências, indústrias e mobilidade elétrica. Um de seus objetivos é impulsionar a transição para um sistema energético global mais sustentável, em benefício de clientes residenciais, empresas e cidades.

A parceria entre Aguaduna e Enel X contemplará a implementação de soluções de operação e manutenção em energias renováveis, uma prática fundamental para que o projeto obtenha certificações internacionais nessa área. A companhia também prevê a aplicação de produtos e serviços tecnológicos integrados e aplicáveis em espaços públicos, mobilidade e edificação em cidades inteligentes.

No Brasil, o Grupo Enel vem implementando outros projetos inovadores para modernizar a distribuição de energia elétrica, com uma visão sustentável baseada em emissão zero. Em um deles, realizado no bairro da Vila Olímpia, conhecido como o “Vale do Silício” da cidade de São Paulo (SP), a companhia desenvolve o projeto Urban Futurability, o mais completo projeto de transformação digital liderado por uma empresa de energia elétrica na América do Sul.

Com o uso de digitalização e inteligência artificial para gestão da rede de energia, a Enel Distribuição São Paulo vem transformando o fornecimento de energia na Vila Olímpia. Serão investidos aproximadamente R$ 125 milhões com recursos do programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) no projeto, que vem testando mais de 40 novas tecnologias. Dentre as entregas do projeto estão o primeiro Network Digital Twin (réplica digital tridimensional da rede elétrica) da América do Sul e a instalação de mais 5 mil sensores na rede.

“Um dos principais objetivos da Enel X é promover a descarbonização dos centros urbanos, oferecendo soluções que tornem as cidades mais digitais, sustentáveis e circulares, com benefícios para os cidadãos e para a sociedade. O ingresso da Enel X no projeto de Aguadana reforça esse compromisso e fortalece a nossa capacidade de oferecer serviços e produtos inovadores aos clientes no mercado brasileiro de energia”, afirmou o responsável pela Enel X no Brasil, Francisco Scroffa.

Cetrel

Já em relação ao uso otimizado da água, a Cetrel oferece as mais completas soluções ambientais para o setor industrial brasileiro, investindo em projetos focados no desenvolvimento e no aperfeiçoamento de tecnologias inovadoras. Com mais de 40 anos de atuação no mercado, atualmente é responsável pelo tratamento e disposição final dos efluentes e resíduos industriais, bem como pelo monitoramento ambiental em áreas de influência de complexos industriais, a exemplo do Polo Industrial de Camaçari (BA).

A participação da Cetrel em Aguaduna envolverá estudos, soluções e serviços relacionados a água, resíduos e meio ambiente. Esse conjunto abrange tratamento, otimização e reuso de água e de resíduos líquidos e sólidos, além de processos energéticos.

“A Cetrel é uma empresa ambiental que tem em seu DNA a sustentabilidade, que é um dos pilares centrais do projeto de Aguaduna, além de expertise técnica em sistemas de tratamento e monitoramento ambiental, conhecimento dos ecossistemas naturais da região e domínio da gestão ambiental integrada e inteligente de empreendimento complexo, como o Polo Industrial de Camaçari, com valorização e controle dos recursos naturais dentro do conceito da economia circular“, afirma João Farah, diretor industrial da Cetrel. Ele ainda acrescenta que a empresa “possui tecnologia avançada para gestão de dados ambientais integrados, operações ininterruptas e automatizadas da produção e distribuição de água, da coleta e tratamento de efluentes e da gestão de resíduos diversos, com ênfase no reuso de água e na valorização energética dos resíduos”.

Cidade resiliente e livre de emissões

Aguaduna beneficiará cerca de 380 mil pessoas, abrangendo a população de Entre Rios e redondezas. O investimento total estimado para o projeto é de mais de 2 bilhões de euros, com uma expectativa de geração de emprego estável de mais de 30 mil postos de trabalho para trabalhadores não residentes em um período de 15 anos, quando a cidade espera acolher 36.000 habitantes.

Aguaduna é um empreendimento binacional concebido na Espanha e no Brasil, com participação das famílias Matutes Mestre e Espallargas, além de conceituado e desenvolvido pela Seed Global Advisoring (SGA), empresa espanhola especializada em desenvolvimento de projetos. O acordo que selou a participação da Enel X e da Cetrel no projeto de Aguaduna teve novamente a colaboração da EAN Energia, consultoria especializada em energias renováveis e que promove o relacionamento, a identificação e a conexão dos parceiros tecnológicos que serão os ativadores do projeto de Aguaduna. A EAN foi fundada por Eduardo Angelo, executivo com mais de 35 anos de experiência no mercado latino-americano de energia.

Sobre a Enel X

Enel X é a linha de negócios global da Enel dedicada ao desenvolvimento de produtos inovadores e soluções digitais em setores onde a energia está mostrando o maior potencial de transformação: cidades, residências, indústrias e mobilidade elétrica. A empresa é líder global no setor de soluções de energia avançada, gerenciando serviços como 6 GW de capacidade de resposta da demanda em nível global e 116 MW de capacidade de armazenamento de energia em todo o mundo, bem como um player líder no setor de mobilidade elétrica, com cerca de 170 mil pontos de carregamento públicos e privados de veículos elétricos em todo o mundo.

A inovação e a sustentabilidade estão no centro da estratégia da Enel X desde o seu início, com a economia circular sendo a combinação perfeita desses dois elementos, aplicada em muitos dos produtos e serviços da Enel X. No Brasil, a Enel X está comprometida em fornecer soluções tecnológicas inovadoras e serviços de valor agregado com o objetivo de impulsionar a mobilidade elétrica, o consumo consciente e eficiente de energia e a transição para um sistema energético global mais sustentável em benefício de clientes residenciais, empresas e cidades.

Site oficial: https://www.enelx.com/br/pt

Sobre a Cetrel

A Cetrel, empresa 100% brasileira, iniciou suas operações em 1978, juntamente com as primeiras empresas do Polo Industrial de Camaçari. Com quase 40 anos de atuação, a empresa é responsável pelo fornecimento de água, tratamento e disposição final dos efluentes e resíduos industriais, distribuição e reuso de água, além do total monitoramento ambiental do Polo.

Certificada nas normas internacionais ISO 9001; ISO 14001, OHSAS 18001 e ISO 17025, oferece as mais completas soluções ambientais para o setor industrial brasileiro, investindo permanentemente em projetos focados no desenvolvimento e aperfeiçoamento de tecnologias inovadoras.

Com uma forte atuação em pesquisa e inovação, a Cetrel realiza investimentos anuais, sempre no intuito de gerar as melhores soluções, agregando valor e competitividade para seus clientes.

Criada com a atribuição inicial de tratar os efluentes líquidos e dispor os resíduos sólidos gerados pelas indústrias do Polo, a Cetrel ampliou gradativamente o escopo de atividades e hoje atua em quatro áreas de atuação – Distribuidora de Água de Camaçari (DAC), Estação de Tratamento de Efluentes (ETE), Centro de Tratamento de Resíduos (CTR) e Gerenciamento Ambiental (GAM). Atualmente a Cetrel é responsável pelo tratamento, disposição final dos efluentes, resíduos industriais, bem como pelo monitoramento ambiental em áreas de influência de complexos industriais.

Site oficial: https://www.cetrel.com.br/

Site oficial Aguaduna: https://aguaduna.com/

Crédito:
Imprensa | Aguaduna

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 1401 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL NOTÍCIAS é um canal que promove o meio ambiente, através da promoção de tecnologias ambientais e inovações, produtos e serviços de sustentabilidade, nacionais e internacionais.