Logística reversa por compensação ambiental estimula economia circular e reduz o impacto da comercialização de embalagens

Logística reversa por compensação ambiental estimula economia circular e reduz o impacto da comercialização de embalagens

Imagem: Divulgação

Desde que adotou esse processo de forma pioneira no setor, a Embalixo já possibilitou a recuperação de mais de 15 toneladas de plásticos

Falta de infraestrutura – ou processos viáveis – para a implementação de logística reversa não é mais desculpa para não se comprometer com a preservação da vida e a saúde do planeta. O selo eureciclo oferece uma maneira diferenciada e criativa de compensação ambiental, cumprindo todas as diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos do Ministério do Meio Ambiente: as empresas remuneram as cooperativas de reciclagem parceiras para recuperar o mesmo material que seus produtos levam ao meio ambiente, com rígido controle de metas para atender a legislação. Pioneira no desenvolvimento de sacos para lixo 100% recicláveis e carbono zero, a Embalixo inovou novamente no setor ao ser a primeira a adotar o eureciclo para compensar as embalagens plásticas usadas no acondicionamento de suas diferentes linhas, habilitando a reciclagem de mais de 15 toneladas de plástico nos últimos dois anos. 

“Como indústria, a atuação sustentável já fazia parte da nossa rotina, não geramos resíduos, aproveitamos as reparas, todo o material que é perdido ou sobressalente é novamente derretido e vira matéria-prima, além de oferecermos somente sacos para lixo 100% recicláveis”, destaca o diretor comercial da Embalixo, Rafael Costa.

“Mas ainda não fazíamos a logística reversa de nossas embalagens porque era muito complexo construir um processo adequado para possibilitar seu retorno, e ainda ter o espaço e estrutura corretos na fábrica para fazer a destinação apropriada”, diz. “Com o selo eurecilo, conseguimos fazer essa compensação, obedecendo inclusive ao percentual de pelo menos 22% do total distribuído, conforme determinado pelo Acordo Setorial de Embalagens”.

Para o executivo, o eureciclo é um também um selo socioambiental.

“Os recursos que aplicamos nesta logística reversa são encaminhados para as cooperativas, no caso, de reciclagem de plásticos, gerando uma renda adicional para muitas comunidades e famílias, em um ciclo economicamente sustentável”, afirma Costa.

“Muita gente tem a visão de que para consumir produtos ambientalmente corretos precisa pagar mais caro, mas no nosso caso, como todo o processo é conduzido por nosso parceiro, isso não onerou os nossos preços”, revela. “É preciso uma mudança de mentalidade, porque ainda é pequena a parcela da população que adota práticas sustentáveis e colabora para a reciclagem“.

O diretor da Embalixo acredita ainda que iniciativas como essa ajudam a colocar em perspectiva a importância do plástico no dia a dia, tirando um pouco da impressão equivocada de vilão do meio ambiente.

“Se for corretamente descartado, tratado corretamente até o final da vida útil e reciclado, sempre vai fazer parte de nosso dia a dia de maneira positiva, pois está em todo lugar, até mesmo no para-choque de um carro ou banco de uma bicicleta”, avalia.

“Quando a gente adota a logística reversa, também estamos ajudando a conscientizar a sociedade sobre isso, onde o culpado pela poluição não é o material, e sim as pessoas que ainda o descartam de forma errada”, opina. “É uma medida necessária para todas as indústrias que pretendem sobreviver no futuro, as matérias-primas são cada vez mais escassas, precisamos sempre pensar em como continuar produzindo sem destruir o meio ambiente“, conclui Costa. 

De acordo com o relatório da eureciclo, os 15.400 quilos de plásticos compensados pela Embalixo beneficiaram seis cooperativas de reciclagem, localizadas na Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo, atingindo igualmente 22% do total comercializado. Os dados apontam ainda que o total de 24 cooperativas integra hoje a iniciativa, sendo que o selo representa uma renda adicional média de 15%. Em alguns casos, como na Coopervaí, no Paraná, a produtividade passou de 50 toneladas para 150 toneladas ao mês, em dois anos. 

Sobre a Embalixo

Líder nacional na categoria de sacos para lixo, a Embalixo soma 17 anos de atuação, com duas plantas no Brasil – Hortolândia/SP e Manaus/AM -, contando com mais de 400 colaboradores. A empresa tem a inovação e a sustentabilidade como pilares básicos do negócio, oferecendo soluções exclusivas ao mercado, como o saco para lixo feito de planta com tecnologia que captura a emissão de gás carbônico; saco para lixo com alças; com abas; antibacterianos; com repelente de moscas e mosquitos; com neutralizador de odores; sacos com material reciclado; e, recentemente, lançou o 1º saco para lixo vegano do mundo.

Site: https://embalixo.com.br/embalixo-sustentavel/

Crédito:
Imprensa | Embalixo

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 1131 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL NOTÍCIAS é um canal que promove o meio ambiente, através da promoção de tecnologias ambientais e inovações, produtos e serviços de sustentabilidade, nacionais e internacionais.