Serra do Japi, na Bacia do Rio Jundiaí, recebe ações de preservação, monitoramento e sensibilização que impactarão a disponibilidade hídrica de toda a região

Serra do Japi, na Bacia do Rio Jundiaí, recebe ações de preservação, monitoramento e sensibilização que impactarão a disponibilidade hídrica de toda a região

Imagem: Rodrigo Palladino | Projeto Olhos da Serra envolve diversos atores, entre o poder público, privado e comunidade, com o objetivo de equilibrar o manejo ambiental do local e dar maior segurança hídrica

A Serra do Japi possui uma riqueza de fauna e flora do mesmo tamanho que sua importância para a cultura e turismo local, como também, para a disponibilidade hídrica regional, com suas diversas nascentes e riachos, o que justifica a origem de seu nome, que em tupi-guarani significa “nascente de rio”. Porém, a região vem sofrendo impactos pelo turismo rural sem regulação, somado a pressão da silvicultura com reflexos ao manejo incorreto do solo e aumento de incêndios florestais. Diante da importância dessa área para o meio ambiente e a segurança hídrica da bacia, entes do poder público, setor privado e organizações da sociedade civil se uniram para a execução, durante o ano de 2022, do “Projeto Olhos da Serra” que tem o objetivo de conservar 2.071 hectares da Serra do Japi, com ações de mapeamento de satélite, monitoramento por câmeras e placas de sensibilização e conscientização, espalhadas por pontos estratégicos da região.

O projeto está sendo conduzido pelo Consórcio Intermunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (Consórcio PCJ) e a Associação dos Amigos dos Bairros de Santa Clara, Vargem Grande, Caguassu e Paiol Velho (SAB Santa Clara), com o patrocínio da Coca-Cola Foundation. Também apoiam a iniciativa a Prefeitura Municipal de Jundiaí, a Coca-Cola FEMSA Brasil, a Coca-Cola Brasil, a Fundação Serra do Japi, a Guarda Municipal, a DAE Jundiaí e a Global Environment & Technology Foundation (GETF). A assinatura do contrato de patrocínio e inicio do planejamento das ações de intervenção aconteceu no dia 23 de novembro do ano passado.

A primeira reunião de discussão do calendário de atividades, com a presença de todos os parceiros, aconteceu no último dia primeiro de fevereiro, em encontro virtual, com a presença do prefeito de Jundiaí (SP), Luiz Fernando Machado, no qual foi apresentado o projeto completo e todas as atividades previstas, com os possíveis desdobramentos da iniciativa para a cidade e toda a Bacia do Rio Jundiaí.

Está previsto a realização de um grande evento de sensibilização de líderes comunitários para auxiliar na monitoria do projeto, no dia 22 de março, data em que se comemora o Dia Mundial da Água, ocasião essa, em que se pretende fazer o lançamento oficial do projeto à população.

O Presidente do Consórcio PCJ e prefeito de Limeira (SP), Mário Botion, esteve presente na reunião de trabalho e destacou que a inciativa do Consórcio, ao lado da empresa associada à entidade, Coca-Cola FEMSA Brasil, acarretará um investimento de quase R$ 700 mil ao município de Jundiaí.

“A parceria com a Coca-Cola FEMSA Brasil, da Coca-Cola Brasil junto da Coca-Cola Foundation, permitiu o acesso a recursos na ordem de US$ 140 mil, quase R$ 700 mil, que serão aplicados na Serra do Japi e com impactos diretos a Jundiaí e aos demais municípios que fazem fronteiras com a região. O Consórcio sempre busca parcerias com instituições privadas e públicas, com o objetivo de buscar alternativas para uma melhor gestão daquilo que nos é mais caro: a água”, pontuou.

A execução do projeto ficará a cargo da SAB Santa Clara, entidade referência na gestão ambiental da área e com histórico de luta pela conservação da Serra do Japi. Durante a reunião de trabalho com todos os parceiros, a presidente da Associação, Hanah Traldi, enalteceu a busca de anos por parcerias que permitissem recursos para a realização de ações de preservação na Serra do Japi.

“Esse projeto torna realidade algo que sonhamos por muito tempo. É uma possibilidade única que, também, nos abre as portas a parceiros e entidades de renome”, atentou ela.

O prefeito de Jundiaí apontou a importância da junção de forças do setor público, privado e comunidade na conservação ambiental e destacou o trabalho do Consórcio PCJ em propiciar esse debate com diferentes atores e esferas da sociedade.

“Nós temos esse comprometimento com o desenvolvimento sustentável e com as futuras gerações, através da preservação ambiental. Um ponto muito importante é quando a política pública tem capacidade de gerar um legado e o Consórcio é um legado de preservação e recuperação dos nossos mananciais para a população”, expôs Luiz Fernando Machado.

O chefe do executivo municipal ainda atentou sobre a importância de envolver no projeto as outras três cidades que também possuem território na Serra do Japi (Cabreúva, Pirapora do Bom Jesus e Cajamar). Ele se colocou à disposição para fazer a interlocução com os outros prefeitos e, assim, ampliar a abrangência do “Projeto Olhos da Serra”, além de colocar a prefeitura de Jundiaí a disposição para auxiliar na execução das atividades previstas pela iniciativa.

Como será a execução do projeto?

A gerente técnica do Consórcio PCJ, Andréa Borges, realizou a apresentação de todo o planejamento do “Projeto Olhos da Serra”, pontuando que o foco da iniciativa é o de aprimorar o monitoramento da área e exercer ações de educomunicação.

O primeiro eixo de ação é o da governança e para isso será criado um Comitê de Engajamento com o objetivo de acompanhar as atividades que estão sendo realizadas, recolher contribuições e sugestões, promover a resolução de conflitos e buscar mais parceiros para a continuidade do projeto após o fim da execução, em novembro de 2022. Também, será implantado o Conselho de Acompanhamento para auxiliar no alcance dos resultados, com impactos não só para Jundiaí, mas para toda a região.

A fase de diagnóstico prevê o mapeamento de todas as nascentes da região, usando para isso tecnologias de mapeamento por satélites, fornecida pela parceria com o Instituto Cerrados, que prevê ainda o monitoramento de desmatamentos e incêndios. Nessa fase, também serão identificados os líderes comunitários para envolvê-los com o projeto e ampliar as ações de monitoramento.

A Serra do Japi tem um forte potencial para o turismo rural e ambiental, mas, atualmente, não existe acompanhamento dos impactos dessa visitação, que passarão a ser monitorados e analisados, propondo um turismo mais sustentável para a área. A implantação de placas de sinalização e sensibilização, buscarão aproximar mais a comunidade a esse olhar mais conservacionista.

Contrato para a liberação dos recursos foi assinado em novembro de 2021

A Coca-Cola Brasil, ao lado da Coca-Cola Femsa Brasil (empresa associada ao Consórcio PCJ), motivaram a entidade a buscar recursos junto à Fundação Coca-Cola, para a execução do projeto de conservação florestal na cidade de Jundiaí. Em seguida, considerando a indicação recebida pela DAE Jundiaí, também associada ao Consórcio PCJ, e pela Fundação Serra do Japi, o Consórcio convidou a SAB Santa Clara a participar como executora do projeto, por entender ser central para o sucesso das ações o envolvimento da comunidade.

Após período de negociação sobre a interação das parcerias com o projeto, o contrato para a execução do “Projeto Olhos da Serra” foi assinado no dia 23 novembro de 2021 e estabeleceu o papel de cada parceiro envolvido com a iniciativa, assim como a liberação dos repasses financeiros para cada etapa de sua implantação.

O desembolso financeiro para a realização do projeto teve início no mesmo mês, sendo dividido em três parcelas, que serão pagas de acordo com a realização das atividades previstas de governança, levantamento de indicadores, monitoramento, comunicação e educação ambiental.

Parceiros avaliam que projeto terá impactos regionais e case exposto mundialmente

Os parceiros do Projeto Olhos da Serra, durante a reunião com o prefeito de Jundiaí, se mostraram bastante otimistas com os resultados a serem atingidos com a iniciativa. André Porto, da Coca-Cola FEMSA Brasil enalteceu a importância do envolvimento de tantos atores no projeto.

“É um orgulho proporcionar um projeto dessa envergadura e fazer política pública, com envolvimento de todos, a iniciativa privada, poder público e terceiro setor”, comentou.

Mesma opinião foi compartilhada por Rodrigo Brito, da Coca-Cola Brasil. “Como é bom ter um consórcio, uma fundação, a prefeitura de Jundiaí, todos esses atores da bacia hidrográfica participando dessa inciativa. Tenho certeza que o impacto desse projeto irá reverberar em toda a América Latina e outras regiões de atuação da plataforma da Coca-Cola Foundation”.

Representando o GETF, Márcio Dionísio, disse acreditar que o Projeto Olhos da Serra já está fazendo história. “Talvez não tenhamos consciência da dimensão do que estamos fazendo, mas estamos mudando a história. O projeto é um marco na plataforma da Coca-Cola e, certamente, será replicado em outros países”, assinalou.

O vice-presidente do Programa de Proteção aos Mananciais do Consórcio PCJ e diretor da DAE Jundiaí, Martim Ribeiro, comentou que a empresa está honrada com a participação no projeto de preservação da Serra do Japi.

“É uma grande satisfação fazer parte dessa e iniciativa e a DAE está à disposição no que for preciso para o desenvolvimento do projeto”.

Vânia Plaza Nunes da Fundação Serra do Japi pontuou sobre a relevância da área para a biodiversidade e para a sustentabilidade hídrica. “A Serra do Japi possui uma riqueza inestimável de fauna e flora, preservar essa vida silvestre repercutirá em benefício para a nós mesmos, olha o tamanho da nossa responsabilidade”.

Landing Page sobre o Projeto

Na reunião também foi apresentada pela primeira vez aos parceiros a Landing Page com informações sobre o Projeto Olhos da Serra, que está abrigada no site do Consórcio PCJ, em www.agua.org.br/projeto_olhos_da_serra. Nela consta informações sobre a importância da Serra do Japi, os parceiros envolvidos, as ações programadas, como apoiar a iniciativa e as notícias mais recentes sobre o projeto.

Sobre o Consórcio PCJ

O Consórcio PCJ, fundado em 1989, é uma associação civil de direito privado, composta por 40 municípios e 23 empresas associados, que atua como uma agência de fomento, planejamento e sensibilização, com o objetivo de recuperar e preservar os mananciais, além de discutir a implementação de políticas públicas voltadas à gestão da água. A entidade é referência nacional e internacional na gestão de recursos hídricos, sendo membro de importantes entidades internacionais, como: O Conselho Munidial da Água, a Rede Internacional de Organismos de Bacias (Riob), a Rede Latino-Americana de Organismos de Bacias (Relob) e a Rede Brasil (Rebob).

Site oficial: https://agua.org.br/

Crédito:
Imprensa | Consórcio PCJ

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 3144 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL NOTÍCIAS é um canal exclusivo sobre ESG e Sustentabilidade, Economia Circular, Resíduos e Reciclagem, Saneamento, Energias Renováveis (Solar Eólica, Biogás e muito mais). Tudo sobre meio ambiente e tecnologias ambientais, cursos e eventos!