ENGIE lança produto para reduzir riscos dos geradores de energia com PLD Horário

ENGIE lança produto para reduzir riscos dos geradores de energia com PLD Horário

O Swap de Modulação para Geradores confere a segurança de um hedge contra variações de preço e horário ao trocar sua curva com perfil de geração por uma curva constante.

A entrada em vigor do PLD Horário, em janeiro de 2021, representou um importante e necessário avanço no mercado de energia elétrica brasileiro, gerando uma série de mudanças e oportunidades, mas também desafios adicionais para gerenciar o risco de exposições no Mercado de Curto Prazo.

Para auxiliar na mitigação desses riscos de exposição e apoiar a expansão das energias renováveis, a ENGIE desenvolveu um novo produto, o Swap de Modulação para Geradores. Segundo o diretor de Comercialização de Energia da ENGIE, Gabriel Mann, o novo produto confere a segurança de um hedge contra variações de preço horário ao trocar sua curva com perfil de geração por uma curva constante (flat).

“Uma curva constante constitui um produto padronizado com maior liquidez para negociações no mercado. Além disso, acompanha melhor o perfil de consumo de consumidores industriais, que representam a maior parte do consumo hoje no mercado livre de energia”, explica Gabriel.

O produto funciona da seguinte forma. O gerador define uma curva de modulação desejada (em MWh), distribuída pelas 24 horas do dia. Pode ser definida uma curva de modulação específica para cada mês do ano, conforme perfil de geração do empreendimento. A ENGIE, por sua vez, registra na CCEE em nome do gerador o mesmo volume total, porém distribuído de forma constante ao longo das 24 horas do dia.

Estabelecido por uma cadeia de modelos computacionais, o PLD é o preço utilizado para liquidar a diferença entre recursos e requisitos de cada agente no Mercado de Curto Prazo (MCP). O novo modelo de precificação da energia era uma demanda antiga em busca de preços mais realistas para o mercado, com uma precificação próxima à operação, maior eficiência no planejamento e operação do sistema elétrico e novas oportunidades de negócios.

Em suma, é uma mudança estrutural apontada como essencial pelo mercado, visando a modernização do setor elétrico e o desenvolvimento de novos serviços.

No entanto, para algumas empresas geradoras, como aquelas baseadas em fontes eólicas, a comercialização de energia nos ambientes livre e regulado, bem como a liquidação em base horária, representam desafios adicionais para gerenciar o risco de exposições no Mercado de Curto Prazo.

“Com a nova forma de precificar a energia, os geradores tendem a ter uma maior volatilidade na liquidação das suas posições no Mercado de Curto Prazo. O impacto maior deve ser sentido, sobretudo, pelos geradores eólicos, pois estes, muitas vezes, não têm um portfólio diversificado que possibilite gerir o risco do seu perfil de geração ao longo do dia”, comenta o diretor de Estratégia e Regulação da ENGIE Brasil Energia, Marcos Keller.

Expansão do setor de energias renováveis

A solução desenvolvida pela ENGIE foi pensada para atender um mercado em franca expansão no Brasil. As fontes renováveis de energia, incluindo hidráulica, eólica, solar e bioenergia, somam 83% de participação na matriz energética brasileira. O índice brasileiro representa três vezes a média mundial, segundo dados do Ministério de Minas e Energia (MME). Com 695 parques eólicos, o País vem subindo posições no ranking global de produção de energia gerada pelo vento e já ocupa a sétima posição, de acordo com o Conselho Global de Energia Eólica (GWEC). Relatório divulgado pela entidade aponta o Brasil como o esteio do crescimento do setor na América Latina nos próximos anos, respondendo por ao menos 37% da expansão projetada até 2025.

A ENGIE possui mais de 1.000 MW de capacidade instalada provenientes de fontes eólicas e está dando início à implantação de um novo Complexo Eólico, Santo Agostinho (434 MW), no Rio Grande do Norte.

Sobre a ENGIE

A ENGIE é referência mundial em energia e serviços de baixo carbono. Com nossos 170 mil colaboradores, clientes, parceiros e stakeholders, estamos comprometidos em acelerar a transição para um mundo neutro em carbono, através do consumo reduzido de energia e soluções mais sustentáveis. Inspirados em nosso propósito, nós conciliamos performance com um impacto positivo sobre as pessoas e o planeta nos apoiando nas nossas atividades chave (gás, energia renovável e serviços) para oferecer soluções competitivas aos nossos clientes.

No Brasil, a ENGIE é a maior empresa privada de energia do País, atuando em geração, comercialização e transmissão de energia elétrica, transporte de gás e soluções energéticas. Com capacidade instalada própria de 10.791MW em 72 usinas, o que representa cerca de 6% da capacidade nacional, a empresa possui quase 90% de sua capacidade instalada proveniente de fontes renováveis e com baixas emissões de GEE, como usinas hidrelétricas, eólicas, solares e biomassa.

A ENGIE é também a detentora da mais extensa malha de transporte de gás natural do país, com 4.500 km, que atravessam 10 estados e 191 municípios, graças à aquisição da TAG, concluída em 2020.

Além disso, a ENGIE está entre as maiores empresas em geração fotovoltaica distribuída e possui um portfólio completo em soluções integradas responsáveis por reduzir custos e melhorar infraestruturas para empresas e cidades, como eficiência energética, iluminação pública, monitoramento e gestão de energia. Contando com 3 mil colaboradores, a ENGIE teve no país em 2020 uma receita líquida de R$ 13,3 bilhões.

A ENGIE está presente na B3 por meio de sua empresa de geração e comercialização de energia cujo ticker é o EGIE3. Na B3, a ENGIE integra o Novo Mercado, além de ser uma das únicas companhias listadas no Índice de Sustentabilidade Empresarial desde o início do ISE, em 2005. Em 2021, a B3 incluiu os papeis da ENGIE no Índice Carbono Eficiente (ICO2), composto pelas ações das empresas participantes do IBrX 100 que possuem maior transparência em relação ao reporte das emissões dos gases do efeito estufa e de como estão se preparando para uma economia de baixo carbono.

Já o Grupo teve em 2020 uma receita de 55,8 bilhões de Euro e é negociado nas bolsas de Paris e Bruxelas (ENGI), sendo representado nos principais índices financeiros(CAC 40, DJ Euro Stoxx 50, Euronext 100, FTSE Eurotop 100, MSCI Europe) e índices não-financeiros (DJSI World, DJSI Europe e Euronext Vigeo Eiris – World 120, Eurozone 120, Europe 120, France 20, CAC 40 Governance).

Crédito:
Imprensa | ENGIE

RECEBA NOSSOS INFORMATIVOS

SERÁ ENVIADO UM E-MAIL DE ATIVAÇÃO. ATENÇÃO: PODE SER QUE A ATIVAÇÃO VÁ PARA A CAIXA DE SPAM.

Sobre Ambiental Mercantil Notícias 918 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL NOTÍCIAS é um canal que promove o meio ambiente, através da promoção de tecnologias ambientais e inovações, produtos e serviços de sustentabilidade, nacionais e internacionais.