Projeto Conexão Araucária anuncia restauração ecológica de 190 hectares de vegetação nativa no Sul do País

Projeto Conexão Araucária anuncia restauração ecológica de 190 hectares de vegetação nativa no Sul do País

Imagem: Divulgação JTI – Mudas plantadas | Iniciativa da SPVS é financiada pelo BNDES e pela empresa JTI, com apoio do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e do Instituto Água e Terra (IAT)

O Conexão Araucária anuncia a restauração ecológica de mais de 190 hectares de vegetação na região Sul do País. Desenvolvido pela Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), a iniciativa conta com financiamento do BNDES e Japan Tobacco International (JTI), para recuperar 335 hectares de Mata Atlântica na Floresta com Araucárias remanescentes, dividida em quatro etapas de execução pré-estabelecidas, das quais duas já foram concluídas.

A parceria entre as instituições deu início ao projeto de conservação no ano de 2017 e já promoveu a restauração de uma área total equivalente a 238 campos de futebol. Na primeira etapa, foram recuperados 46 hectares na Floresta Nacional de Piraí do Sul, no Paraná.

“Com a conclusão da segunda etapa do projeto no primeiro semestre de 2021, já foram recuperados cerca de240 hectares, incluindo o Parque Ambiental Salto da Pedreira e áreas de preservação permanente (APPs) nas propriedades de produtores integrados da JTI”, afirma Alessandra Xavier, técnica em conservação da SPVS.

Divulgação SPVS
Proprietário Pedro Micalski e técnica do Projeto Conexão Araucária

Nas propriedades rurais aconteceram mobilizações com produtores integrados da JTI para apresentar o projeto e convidá-los a participar. A equipe técnica da SPVS visitou as áreas e identificou em quais propriedades foi necessário restaurar e adequar à legislação ambiental.

“Somente nas Áreas de Preservação Permanente dentro das propriedades dos produtores integrados, atingimos a marca de cerca de 180 hectares recuperados. O produtor recebeu todo o apoio para a restauração da APPs, desde material de cerca e mudas, até a execução das atividades de plantio de mudas e cercamento”, afirma Clayton Kuiawa, supervisor de Agronomia da JTI.

A restauração ecológica promove diversos benefícios ao meio ambiente e às populações que circundam as áreas recuperadas, como, por exemplo, a formação de pequenos corredores ecológicos para que animais silvestres possam circular livremente, regulação dos serviços ecossistêmicos e melhoria na qualidade e quantidade de água nas nascentes, córregos e riachos.

Divulgação SPVS
Modelo de cerca executado nas propriedades rurais

“Com o plantio de mudas, inclusive com espécies que hoje são raras e ameaçadas de extinção, iniciamos o processo de recuperação da vegetação nativa e, em algumas áreas, já é possível observar uma melhora significativa na restauração da biodiversidade e no fluir das nascentes”, afirma Vitória Yamada, coordenadora do projeto.

Projeto conectado com a sustentabilidade

A conservação e recuperação da biodiversidade é um assunto de grande importância em todo o mundo. Para a JTI, a sustentabilidade é um de seus pilares de atuação e está diretamente conectado à cadeia do tabaco. 

“Até o momento, restauramos 161 áreas de preservação permanentes nas propriedades de produtores integrados da JTI. Isso representa 19 mil metros lineares de cerca e mais de 92 mil mudas nativas. Estamos colocando em prática os princípios de sustentabilidade que orienta os negócios da empresa”, afirma Kuiawa.

Áreas onde a biodiversidade é preservada se diferenciam por desenvolver proteção natural maior em relação a pragas e enriquecendo o solo, melhorando a qualidade da produção do tabaco.

“Por isso, a sustentabilidade está no centro dos negócios da JTI. A qualidade do produto é fator primordial de nossa marca. Mas também, para nós, ações que têm como foco o meio ambiente, o bem-estar no trabalho e a erradicação do trabalho infantil vão muito além de cumprir a legislação. Essas práticas fortalecem uma gestão realmente responsável e benéfica para sociedade, trata-se de fazer a coisa certa ao mesmo tempo em que garantimos a continuidade do nosso negócio”, afirma Flavio Goulart, diretor de Assuntos Corporativos & Comunicação da JTI.

Divulgação SPVS
Familia do Sr Pedro Micalsji – São João do Triunfo

Próximos passos

Para as duas próximas etapas do Conexão Araucária está prevista a restauração ecológica de 95 hectares de Mata Atlântica, sendo 75 na Reserva Particular do Patrimônio Natural Meia Lua, no município de Ponta Grossa/PR, com início em outubro, e mais 20 hectares serão restaurados em APPs em propriedades de produtores integrados da JTI.

Divulgação SPVS
Monitoramento das áreas

“Para isso, nossos técnicos de agronomia estão buscando novos interessados em participar do projeto. Além dos benefícios ecológicos, que se refletem num futuro melhor para as futuras gerações, o produtor ainda recebe um documento com o qual o proprietário pode regularizar a situação das APPs no órgão ambiental”, afirma Clayton.

Sobre a JTI

A Japan Tobacco International (JTI) é uma empresa internacional líder em tabaco e vaping, com operações em mais de 130 países. Fora dos EUA, é proprietária de Winston, segunda marca mais vendida do mundo, Camel e Natural American Spirit (NAS). Outras marcas globais incluem Mevius e LD. Também é um dos principais players no mercado internacional de vaping e tabaco aquecido com as marcas Logic e Ploom. Com sede em Genebra, na Suíça, emprega mais de 44 mil pessoas e foi premiada com o Global Top Employer por cinco anos consecutivos. A JTI é membro do JapanTobacco Group of Companies.

No Brasil, são mais de mil colaboradores em dez Estados. A operação contempla a produção de tabaco – por meio de 11 mil produtores integrados no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná – compra, processamento e exportação de tabaco, fabricação, venda e distribuição de cigarros em mais de 20 Estados do Brasil. As marcas comercializadas são Winston, Camel, NAS, Djarum e L.A.

A JTI acredita na liberdade de escolha de seus consumidores, por isso, disponibiliza amplamente informações sobre as consequências do tabagismo.

Sobre a SPVS

A Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS) é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), que há mais de 36 anos desenvolve projetos inovadores na área de conservação da natureza. As iniciativas desenvolvidas pela SPVS têm por estratégia garantir que investimentos e esforços sejam direcionados para ações prioritárias e efetivas que consistam na manutenção do patrimônio natural brasileiro.

Site oficial: https://www.jti.com/pt-br/americas/brazil

Crédito:
Imprensa | Japan Tobacco International (JTI)

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 1401 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL NOTÍCIAS é um canal que promove o meio ambiente, através da promoção de tecnologias ambientais e inovações, produtos e serviços de sustentabilidade, nacionais e internacionais.