Últimas notícias

AMBIENTAL MERCANTIL E INSTITUTO AGENDA URBANA BRASIL TORNAM-SE PARCEIROS INSTITUCIONAIS

Por Ângela Schreiber para o canal Ambiental Mercantil Notícias

A Ambiental Mercantil firmou recentemente parceria institucional com o Instituto Agenda Urbana Brasil (IAUB). Trata-se de um importante apoio para projetos da área ambiental. Em entrevista ao portal, a presidente do IAUB, Luciana Figueras, falou sobre a parceria com a Ambiental Mercantil e sobre a contribuição do instituto ao universo do meio ambiente.

Segundo Luciana, a equipe do IAUB está muito honrada em fazer parte de tão importante espaço da mídia ambiental.

“Estamos ‘nascendo’ agora e a Ambiental Mercantil é uma gigante no mercado ambiental nacional e internacional. A parceria firmada é um ganho imensurável para as partes e na busca por ações efetivas em prol de um meio ambiente mais justo e equilibrado”, disse ela.

O lançamento oficial do IAUB aconteceu às 17 horas do dia 6 último, através do canal do instituto no YouTube. A entrevista foi realizada antes do grande dia. A expectativa de Luciana e de toda a equipe era muito grande.

“Estamos extremamente felizes com o lançamento, pois este será o momento de celebrar a primeira vitória deste grupo de profissionais”.

A presidente do instituto não esquece de agradecer aos componentes da equipe.

“Acreditaram e apostaram na criação do Instituto Agenda Urbana Brasil”.

O IAUB foi constituído em plena pandemia, mais especificamente no dia 24 de julho de 2020. Segundo Luciana, o começo de tudo foi em setembro do ano passado. Depois de morar um ano na Ilha de Malta, na Europa, ela idealizou e criou o grupo AGENDA URBANA BRASIL em um conhecido aplicativo de troca de mensagens.

“O Instituto Agenda Urbana Brasil é fruto do grupo do WhatsApp”.  

De acordo com Luciana, o grupo é composto por profissionais de formações múltiplas que moram no Brasil e no exterior, e que atuam no segmento ambiental.

“Com o advento da pandemia, eu e alguns colegas do grupo decidimos disseminar o conhecimento técnico ambiental através do formato de webinários que já estávamos acompanhando em outros países”.

Ainda de acordo com Luciana, um dos pioneiros do movimento dos webinários no cenário nacional é o Grupo Agenda Urbana.

“Com a tamanha visibilidade dos nossos webinários criamos rapidamente uma identidade visual nas mídias sociais, o que nos levou à necessidade de entregar para esse grupo uma personalidade jurídica. Daí nasceu o INSTITUTO AGENDA URBANA BRASIL”.

Entre as metas do IAUB estão o fortalecimento da responsabilidade ambiental brasileira, atendendo os requisitos do desenvolvimento sustentável descrito no Relatório Brundtland (1987), e a contribuição com a comunidade científica, com o objetivo de unir os conhecimentos teórico, prático e tácito.

Elaborado pela Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, o Relatório Brundtland aponta para a incompatibilidade entre desenvolvimento sustentável e os padrões de produção e consumo vigentes.

SANEAMENTO BÁSICO E ECONOMIA CIRCULAR

Para contribuir com questões atualmente muito debatidas no Brasil, como o saneamento básico e a economia circular, o instituto conta com Câmaras Técnicas e Consultorias Especializadas.

“Temos as pastas de saneamento básico e economia circular, com os profissionais mais qualificados do Brasil. Estamos em um momento de pujante produção de projetos para entregas de soluções nos segmentos apontados acima. Acreditamos que a entrega do saneamento básico igualitário no Brasil será fruto da qualidade e eficiência do serviço prestado, independente dele ser público ou privado. O que temos é que exigir que estes serviços sejam entregues para a população brasileira”.

No dia 15 de julho último, o presidente Jair Bolsonaro sancionou o novo marco legal do saneamento básico. O objetivo da nova lei é ampliar a presença do setor privado na área.

“No campo da economia circular, temos uma equipe de Advocacy e Relações Institucionais Ambientais atenta à necessidade da regulamentação da economia circular no Brasil”.

Economia circular nada mais é do que o reaproveitamento total de produtos. O uso de insumos recicláveis, renováveis e mais duráveis é priorizado. Segundo matéria publicada no site www.gazetadopovo.com.br, 76,5% das indústrias têm alguma iniciativa de economia circular, mas a maioria delas não sabe que está dentro deste conceito. Os dados foram obtidos em uma pesquisa feita pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI) em 2019.

Luciana e a equipe do IAUB acreditam na economia circular como ferramenta na virada de chave da economia brasileira.  

“A regulamentação da economia circular no Brasil irá fomentar a retomada verde nacional em sintonia com o mercado internacional, com abertura de frentes de trabalho e geração de emprego e renda. Nós do Instituto Agenda Urbana Brasil já possuímos uma minuta propositiva para regulamentação da economia circular no Brasil e estamos buscando um parlamentar para encampar esse projeto”.

SOBRE O INSTITUTO AGENDA URBANA BRASIL (IAUB):

Trata-se de um instituto de natureza associativa civil e sem fins lucrativos. As Diretorias, Consultorias e Câmaras Técnicas do IAUB trabalham juntas pela retomada verde da sociedade global. A missão do Instituto Agenda Urbana Brasil é: “União da academia com o ‘chão de fábrica’ para garantir soluções em políticas públicas e inovações ambientais, com foco no desenvolvimento sustentável do Brasil e do mundo”.

SOBRE A ENTREVISTADA

Luciana Vilardo de Freitas Figueras é advogada especialista em Gestão Executiva em Meio Ambiente pela COPPE/UFRJ. Atuante em questões de Direito Ambiental nas esferas administrativa e judicial, especialmente de forma preventiva, visando mitigar passivos e contingências de natureza ambiental. Consultora especializada em suporte de mandato parlamentar e atuação em pautas legislativas relacionadas com a Agenda Urbana Nacional.


Crédito:
Redação Ambiental Mercantil, Ângela Schreiber
Instituto Agenda Urbana Brasil