Yattó, startup de logística de reversa fundada em ambiente universitário, é pioneira na reciclagem de embalagens flexíveis

A Yattó nasceu e cresceu com o objetivo de cuidar do lixo do mundo! São specialistas em conectar geradores de resíduos a ciclos de reciclagem em todo o país.
A Yattó nasceu e cresceu com o objetivo de cuidar do lixo do mundo! São specialistas em conectar geradores de resíduos a ciclos de reciclagem em todo o país.

Imagem: Divulgação | Premiada em 3.º lugar na categoria Startups City Tech pela 100 Open Startups, a Yattó conquista gigantes como Nestlé, Cargil e Suvinil com seu modelo de negócio voltado para ESG

Julho de 2022 – Fundada por Luiz Grilo aos 19 anos, no primeiro semestre de Engenharia de Controle e Automação na UFMG em 2014, a Yattó já sabia que seu propósito seria cuidar do lixo do mundo desde o início. Foi a partir de uma disciplina de sustentabilidade que Luiz, hoje Diretor Executivo, fundou a empresa a partir de um sensor que indicava o momento exato das lixeiras serem esvaziadas.

Durante a formação da empresa, Luiz participou de uma série de programas de aceleração, como: Lemonade, Techmall, Seed MG, Inovativa, Liga Ventures, Cubo Itaú e Plug and Play.

Em 2017 foi o vencedor brasileiro do prêmio Global Student Entrepreneur Awards e representou o Brasil na Alemanha durante a final internacional. Em 2021, foi o campeão do Programa Prolíder na categoria de Empreendimentos em Estágio Avançado, e passou a ser acelerado pelo programa Panela (Nestlé) e Accelerator 100+ Ambev, além de ser Premiado pela 100 Open Startups: 03 lugar na categoria Startups City Tech.

Modelo de Negócio

A participação em programas de aceleração permitiu que a empresa expandisse seus horizontes, e visualizasse no mercado de logística reversa um caminho alternativo ao da venda de créditos de reciclagem e de carbono. A startup se consolidou então como gestora de programas estruturantes de logística reversa e economia circular, que, a partir do diagnóstico das necessidades e objetivos do cliente, desenvolve projetos personalizados, voltados a reinserir os resíduos pós-consumo em um novo ciclo produtivo.

A partir desse posicionamento, conquistou espaço no mercado de reciclagem, gerenciando resíduos como óleo de cozinha, embalagens e sobras de tinta, cápsulas de café e, recentemente, embalagens flexíveis — resíduos que costumam ser tratados como rejeitos em cooperativas e agora estão sendo desviados de aterros sanitários e lixões, indo para uma nova rota de reciclagem.

Hoje, a Yattó transforma embalagens flexíveis e materiais mais complexos, como baldes plásticos contaminados e cápsulas de café, em novos produtos, ou as reintegra em um novo ciclo econômico.

Além do modelo de negócio inovador, a empresa propõe projetos ligados às diretrizes do ESG para o mercado.

O E, de “environment corresponde ao desvio de rejeito que iria para aterros e passa a ser valorizado em novo ciclo econômico, poupando recursos e evitando extração de mais matéria-prima da natureza.

O S de “Socialestá relacionado à melhoria da remuneração e condições de trabalho dos catadores em cooperativas de reciclagem, os tirando do cenário de invisibilidade atual.

Por fim o G, de “Governance está vinculada à transparência nos dados gerados em todo processo, assim como sua rastreabilidade da coleta até a prestação de contas e demais documentações envolvidas.

Ainda que a inovação solucione um problema ambiental, Luiz Grilo menciona um longo caminho à
frente: “A coleta seletiva traz uma falsa sensação de que estamos em um caminho sustentável, mas o problema é mais profundo. Segundo a Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais), apenas 3% do lixo no país é reciclado — e tanto as cooperativas quanto os catadores são responsáveis pela coleta de 90% de todos esses resíduos recicláveis“, ressalta o fundador.

Recentemente, a empresa conquistou o Prêmio Consciência Ambiental 2021 do Espaço Immensitá, que reconhece projetos e ações em prol do meio ambiente e sustentabilidade. Os projetos inscritos estão relacionados à reciclagem de embalagens plásticas: embalagens flexíveis, cápsulas de cafés e baldes de tintas.

No que se refere ao seu desempenho, com ajustes no modelo de negócio voltados ao ESG, apenas no ano de 2021 a empresa teve um salto de 400% no seu faturamento: foi de 220 mil reais (2020) para aproximadamente 900 mil reais.

Já em 2022, a empresa bateu a marca de faturamento do ano anterior (2021) e projeta chegar a 3,5 milhões de reais. Para 2023, com o crescimento de seus projetos e a expansão para novos resíduos, a expectativa é de 10 milhões de faturamento anual.

Aderência às práticas de ESG e novas soluções de reciclagem conquistam gigantes do mercado

Após sete anos de existência, a Yattó coleciona um portfólio robusto. A parceria com a Nestlé nasceu a partir do programa de aceleração Panela, em 2021, quando a Yattó se propôs a estudar a viabilidade de reciclar embalagens flexíveis — plástico de arroz, feijão, salgadinhos, chocolates e até sabonetes, que trazem a complexa missão de serem recicladas e têm pouco valor agregado para as cooperativas.

O projeto-piloto envolveu 25 cooperativas e segue ativo paralelamente a outros projetos com a Nestlé. Ativa desde janeiro, a operação já contabiliza mais de 38 toneladas de resíduos coletados no Estado de São Paulo. A meta é de 70 toneladas até o final do ano (2022).

O sucesso do projeto-piloto abriu portas e incluiu a Yattó como parceiro oficial na Campanha Renove Seus Sonhos, realizada no primeiro trimestre deste ano.

O programa envolveu a coleta de materiais recicláveis em mais de 52 locais fixos e outros 600 pontos itinerantes, totalizando 98 cidades e apoio para cerca de 900 catadores através de renda extra gerada pela contratação de seus serviços.

Além do impacto ambiental, o projeto também visa frutos sociais.

A Yattó recebeu R$ 420 mil da Nestlé para apoiar o trabalho de 12 cooperativas parceiras em São Paulo, beneficiando 456 catadores no total.

As ações incluem a aquisição de EPIs para cooperados, computadores e eletrodomésticos de cozinha para as cooperativas a fim de melhorar as condições no local de trabalho, entre outras necessidades relacionadas à infraestrutura.

Uma parceira antiga da startup é a Cargill.

Através da Ação Renove o Meio Ambiente com a marca de óleo de cozinha Liza, nasceu um dos maiores programas de logística reversa de óleo e gordura vegetal residual do Brasil. Por meio dele o consumidor tem acesso a pontos de coleta para o descarte de óleo de cozinha, assim como grandes redes de fast food também passaram a ser atendidas em sua operação. Até o momento o programa já coletou mais de 5 milhões de litros de óleo usado de empresas parceiras, através de 600 ecopontos de coleta espalhados em 252 cidades, distribuídos em 17 estados brasileiros.

A ação com a Suvinil também foi um marco.

Conquistou a maior fabricante de tintas imobiliárias do Brasil através do Programa Fora da Lata, abraçando o desafio de tornar a cadeia produtiva mais sustentável no pós-consumo, por meio de um programa próprio de Logística Reversa de embalagens e sobras de tinta.

O objetivo é expandir para todo o país em etapas, visando atender toda a população. Até agora são mais de cinco (05) cinco toneladas de resíduos coletados em São Paulo e Belo Horizonte, mais de 12 lojas atendidas e sete (07) municípios com expansão prevista para Santa Catarina e Paraná.

A empresa também assessora a ONG Sea Shepherd Brasil na Operação Ondas Limpas, prática em que um grupo de voluntários organiza mutirões de limpeza de praia e fundo do mar (via mergulho) para remover o lixo marinho de praias e rios, além de educar e conscientizar pessoas sobre consumo e descarte responsável.

Presente em sete estados, a Yattó, a convite da Sea Shepperd e da marca de uísque Johnny Walker, foi responsável por mapear cooperativas de reciclagem aptas a reciclar o lixo coletado e a produzir o relatório de impacto para a Sea.

Apenas nesta operação, quase meia tonelada de resíduos (451kg) foram coletados, sendo 7.942 itens de plástico. O principal resíduo mais encontrado foram as bitucas de cigarro.

A ação em números pode ser conferida clicando aqui.

Sobre a Yattó

Fundada em 2015 por Luiz Otávio Grilo e Alexandre Galana, a Yattó é uma empresa que oferece soluções em Logística Reversa e Economia Circular para empresas de médio e grande porte, promovendo a circularidade dos recursos naturais em ações de impacto ESG, diretamente ligados a 4 ODS´s.

Sua missão é cuidar do lixo ao dar um novo destino para esses resíduos através da reciclagem adequada, garantindo a reinserção deste material no mercado ou encaminhando para o descarte apropriado, diminuindo o seu impacto no meio ambiente e gerando renda para seus parceiros.

Acelerados pelos principais programas do país como Panela da Nestlé, Plug and Play, Accelerator 100+ da Ambev e premiada em terceiro lugar na categoria Startups CityTech pela 100 Open Startups, a empresa já conta com um portfólio de grandes clientes como Cargill, Tintas Suvinil, Nestlé, Sea Shepherd, Vedacit e entre outros que conquistados no primeiro trimestre de 2022.

Site oficial: https://www.yatto.com.br/

Redes sociais:
http://www.instagram.com/yatto.br
https://www.facebook.com/yatto.br
https://www.linkedin.com/company/yatto-logistica-reversa/

Crédito:
Imprensa

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 2910 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL NOTÍCIAS é um canal exclusivo sobre o Meio ambiente e Tecnologias ambientais, ESG e Sustentabilidade, Energias Renováveis (Solar Eólica, Biogás e muito mais), Cursos e Eventos!