Últimas notícias

Relatório reúne dados sobre uso de fluidos alternativos para setor de ar condicionado no Brasil

Where Air Conditioners Live

Um dos objetivos do projeto é estimular o setor de ar condicionado no Brasil a eliminar o uso do HCFC-22 – nocivo à Camada de Ozônio. Foto: Flickr / Peter Morgan (CC)

O Projeto para o Setor de Manufatura de Equipamentos de Refrigeração e Ar Condicionado (Projeto RAC), executado no âmbito do Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs (PBH), lançou recentemente um novo relatório técnico com informações atualizadas sobre o uso de fluidos alternativos de refrigeração em equipamentos de ar condicionado residenciais.

O Projeto RAC é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e implementado pela Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO). Um dos objetivos do projeto é estimular o setor de ar condicionado no Brasil a eliminar o uso do HCFC-22 — nocivo à Camada de Ozônio.

O Projeto para o Setor de Manufatura de Equipamentos de Refrigeração e Ar Condicionado (Projeto RAC), executado no âmbito do Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs (PBH), lançou recentemente um novo relatório técnico com informações atualizadas sobre o uso de fluidos alternativos de refrigeração em equipamentos de ar condicionado residenciais.

O conteúdo se baseia nas publicações mais recentes do Painel de Avaliação Econômica e Tecnológica (TEAP) do Protocolo de Montreal sobre Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio.

O texto, em português, organiza em um único documento os principais dados referentes a soluções tecnológicas com baixo Potencial de Aquecimento Global (GWP) e zero Potencial de Destruição do Ozônio (PDO), abordando os fluidos refrigerantes alternativos disponíveis, tipos de equipamentos para o setor de ar condicionado, eficiência energética, segurança e normas técnicas.

O documento poderá ser utilizado pelo setor de ar condicionado como referência sobre as tendências tecnológicas em discussão no âmbito do Protocolo de Montreal.

O relatório foi elaborado por Roberto Peixoto, engenheiro naval e professor de Engenharia Mecânica, Energia e Meio Ambiente no Instituto Mauá de Tecnologia (IMT). Peixoto também é membro do TEAP e co-presidente do Comitê de Opções Técnicas de Refrigeração, Ar Condicionado e Bombas de Calor (RTOC).

O Projeto RAC é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e implementado pela Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO). Um dos objetivos do projeto é estimular o setor de ar condicionado no Brasil a eliminar o uso do HCFC-22 – nocivo à Camada de Ozônio.

Para baixar o novo relatório técnico em português, clique aqui.

Crédito: nacoesunidas.org