Tecnologia e práticas sustentáveis são as chaves para aumentar a exportação da pecuária brasileira

Tecnologia e práticas sustentáveis são as chaves para aumentar a exportação da pecuária brasileira

Imagem: Jan Koetsier | Pexels

A adoção de tecnologia é um ponto fundamental para a pecuária brasileira mostrar as boas práticas de sustentabilidade, bem-estar animal, com as comunidades locais para os investidores, compradores internacionais e consumidores de um modo geral. Por meio dela, é possível gerenciar a propriedade rural, monitorar o gado e mensurar resultados numéricos e relatórios qualitativos que comprovam não apenas a qualidade da carne, mas também sua origem e o cumprimento todos esses aspectos considerados prioritários aos atores que determinam a compra do alimento.

Uma dessas tecnologias é o transponder, que são sensores instalados nos brincos dos bovinos, que permitem monitorar o animal quando ele vai ao coxo comer, beber água. Assim, o produtor rural pode contabilizar os horários e quantidades envolvidas no processo produtivo, melhorando a gestão de toda a propriedade rural.


“Existe tecnologia para todo mundo. O mais importante é colher as informações necessárias para melhorar o negócio, ou seja, reverter o investimento em renda”, disse o engenheiro agrônomo Francisco Beduschi Neto, executivo da National Wildlife Federation (NWF), em um evento online.

Nesse sentido, a nova geração que, nos últimos anos, tem assumido as propriedades rurais de todos os portes, tem favorecido a aplicação de tecnologia por sua facilidade com as ferramentas. Além disso, ela também está mais preocupada em entender o consumidor e mais interessada em levar uma informação precisa a ele.

Para Beduschi, esse sentimento por parte dessa geração é muito importante porque o consumidor está mais exigente quanto as condições ambientais, sociais e de bem-estar animal das propriedades onde foi produzida aquela carne. Somado a esse público, há os investidores e o mercado internacional, que demandam cada vez mais sustentabilidade e rastreabilidade.

“O Brasil tem tecnologia e recursos para cumprir com as exigências desses três atores. São muitos exemplos em território nacional, sendo um deles a Integração Lavoura Pecuária Floresta (iLPF), desenvolvida pela Embrapa. Mas, é preciso mostrar de forma contundente o que vem sendo feito no país”, ressaltou Beduschi.

Para contribuir na formação da mensagem mais assertiva para o mercado, a NWF tem buscado exercer um papel de fazer a ponte entre o produtor rural e todos os atores da cadeia, a fim de levar informações essenciais de um lado para o outro e vice-versa. Por isso, conta com uma equipe multidisciplinar para conversar com todos os atores da pecuária.

“Fazemos esses arranjos, objetivando construir uma cadeia de comunicação; esse é o ponto essencial em nossa avaliação”, disse Beduschi.

Outro benefício advindo da tecnologia é a possibilidade de ampliar a rastreabilidade em toda a cadeia de fornecimento. Sem dúvida, esse processo já é uma realidade no setor, com os frigoríficos e os invernistas. Mas, a expectativa da NWF é que haja um crescimento progressivo para outros elos, como por exemplo, os produtores que fornecem o bezerro para a engorda.

“A rastreabilidade dá transparência e governança, que são aspectos fundamentais para que a pecuária brasileira mantenha sua competitividade global e consiga ampliar seus mercados”, disse.

A constatação de Beduschi, por meio de sua experiência nos arranjos com os elos da cadeia, é que compradores, consumidores e investidores não querem mais informações genéricas ou gerais, eles estão em busca de dados que comprovem as práticas ambientais na lupa da propriedade rural. Isso significa que ter métricas de avaliação da propriedade são vantagens competitivas. Uma das ferramentas que podem contribuir para estabelecer essas medições é o Guia de Indicadores do Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável (GTPS).

Por fim, o executivo da NWF salientou que todo esse esforço da pecuária nacional em buscar a preservação dos biomas precisa ser comunicado com assertividade para que não haja distorções.

“O consumidor precisa ver realmente o está sendo feito e o que ainda será feito. A pecuária está em constante evolução e muitas vezes essa evolução não alcança a casa do consumidor. Desse modo, não pode haver falhas de comunicação, pois é importante que haja um fluxo contínuo e alinhado de informações para que a pecuária cumpra seu papel no fornecimento de carne de qualidade, com bem-estar animal impactos sociais e ambientais positivos”.

Crédito:
Imprensa | NWF National Wildlife Federation

RECEBA NOSSOS INFORMATIVOS

SERÁ ENVIADO UM E-MAIL DE ATIVAÇÃO. ATENÇÃO: PODE SER QUE A ATIVAÇÃO VÁ PARA A CAIXA DE SPAM.

Sobre Ambiental Mercantil Notícias 918 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL NOTÍCIAS é um canal que promove o meio ambiente, através da promoção de tecnologias ambientais e inovações, produtos e serviços de sustentabilidade, nacionais e internacionais.