Últimas notícias

STARTUP BRASILEIRA INVESTE NA LOGÍSTICA REVERSA

Por Ângela Schreiber para Ambiental Mercantil Notícias

O sistema de Logística Reversa (LR) ou Logística Verde está cada vez mais presente no cenário atual. Empresas e consumidores têm buscado alternativas sustentáveis e se rendem à economia circular. A fim de manter esta cadeia ambiental, a startup LogReversa está organizando um webinário.

            O evento, que acontece no dia 30 de junho próximo (16h às 17h) e é totalmente gratuito, traz o tema “Como a sua empresa escreve o epílogo da vida dos seus produtos?”. De acordo com o engenheiro Mauricio Abrão Iankis Ajzenberg, sócio-fundador da LogReversa, o evento pretende mostrar a inter-relação existente entre economia circular, logística reversa do pós-consumo e os fatores críticos para o atingimento de suas eficiências. Veja abaixo o link de incrição do webinar.

            “Faremos uma introdução ao conceito de vida útil do bem (e/ou de sua embalagem), quais os “epílogos” (destinações finais) possíveis em função de cada tipo de resíduo sólidos, quais os fatores de sucesso para a eficiência da reciclagem, o que é a logística reversa de pós-consumo e quais as diferenças em relação à logística tradicional e as suas dificuldades de implantação”, disse ele.

Segundo Mauricio, o webinário é feito para todos os profissionais envolvidos na cadeia de comercialização de diferentes produtos, cujo final de vida útil (pós-consumo) ou de suas embalagens gere resíduos sólidos que não sejam compostáveis.

            “Em particular aos gestores e profissionais das áreas de sustentabilidade, meio ambiente e supply chain, mas também aos das áreas de marketing, P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) e aos de compliance”.

            De acordo com um artigo publicado no site www.administradores.com.br, as empresas que investem na logística reversa ganham destaque no cenário empresarial.

            “O que as companhias descobriram recentemente é que controlar a geração e a destinação de seus resíduos é uma forma de economizar e que gera reconhecimento social e ambiental”, diz o artigo assinado por Natália Amado.

            Atenta à sustentabilidade, a Artecola Química desenvolveu uma linha de colas de contato extraforte sem solvente. A novidade foi lançada no Dia do Meio Ambiente (5 de junho) e faz a empresa de Campo Bom (RS) evoluir para as práticas de Economia Circular.

            “O Afix Green chega com esse perfil, reforçando nossa postura de pensar além da qualidade do produto. Queremos sempre produzir de maneira consciente e gerar menos resíduos em toda a cadeia, dentro dos três pilares da sustentabilidade: econômico, social e ambiental”, declarou a gerente do Mercado Consumo da Artecola, Cássia Lago. As informações estão no site www.climatempo.com.br

            Sobre o correto descarte de eletroeletrônicos ainda ser um grande problema no Brasil, Mauricio disse que, assim como o alumínio, que possui alto valor agregado, o descarte de eletroeletrônicos esbarra em vários empecilhos.

            “Começando pela falta de uma ‘cultura de reciclagem’ na maioria da população, passando pela ausência de coletas seletivas na maioria dos bairros e dos municípios, pela escassez e concentração geográfica de recicladores especializados e em várias regiões do país, pela falta de conveniência e proximidade dos PEVs (Pontos de Entrega Voluntária) e pelas dificuldades relativas à legislação tributária do país”.

Localizado em São Paulo capital, o Museu do Computador recolhe lixo eletrônico, aceitando periféricos (mouse, teclado, HD), televisão, celular, bateria, aparelho de som e outros equipamentos. As informações estão no site www.museudocomputador.org.br

            De acordo com o site www.pagina3.com.br, a prefeitura de Balneário Camboriú (SC) colocou em funcionamento, no início deste mês, um serviço gratuito e permanente para descarte de eletroeletrônicos. O serviço é prestado pela Ambiental Limpeza Urbana e Saneamento Ltda. Depois de deixados no PEV, os resíduos seguem para uma cooperativa, a qual tem experiência específica em eletroeletrônicos.

Foto: site www.pagina3.com.br

            “É mais uma medida muito importante. Com a educação ambiental, melhoria nos serviços e outras ações diversas estamos transformando nossa cidade em um diferencial na separação de resíduos”, disse Fabrício Oliveira, prefeito do município.

AÇÕES

            Com a quarentena, os Pontos de Entrega Voluntária conhecidos como PEVs – normalmente instalados em parques, supermercados e shoppings – podem estar fechados. Deixe os eletroeletrônicos separados em algum ponto da casa, esperando o período de distanciamento social terminar para serem descartados. Os eletroeletrônicos não são perigosos e não têm cheiro, porém não podem ser jogados no lixo comum. A dica é da Green Eletron, gestora para a logística reversa de eletroeletrônicos e foi publicada no site www.ndmais.com.br

            A pandemia de coronavírus, segundo Mauricio, fez o consumidor mais consciente.

            “Mas ficamos impedidos de visitar nossos prospects a fim de mostrar nossa proposta de trabalho e as soluções que oferecemos”.

            Falar em logística reversa é lembrar da Cachaça 51, a famosa “boa ideia”. De acordo com o site www.novomomento.com.br, sua fabricante, a Cia. Müller de Bebidas, iniciou a prática de coleta de resíduos sólidos, como as embalagens, e o seu reaproveitamento, muito antes da assinatura do Acordo Setorial para Implantação do Sistema de Logística Reversa de Embalagens, em 2015. A empresa é um dos principais operadores de logística reversa de embalagem no setor de bebidas, ainda segundo o site.

Foto: site www.novomomento.com.br

Segundo Mauricio, a empresa pode servir como um bom exemplo no setor.

            “Apesar do retorno de embalagens não ser uma novidade, particularmente no setor de bebidas, onde sempre se utilizou o ‘casco’ de vidro retornável (com valor financeiro) e os engradados de transporte que, num determinado momento, acabaram (parcialmente) substituídos por embalagens one way, feitas em PET (por questões de custo de produção, transporte, retorno, desinfecção) e pelo alumínio. Há também os refis de cosméticos, de produtos de limpeza, de bebidas e uma série de outros produtos”.

            No setor de cosméticos, a Avon pode servir de exemplo. A logística reversa passou a ser empregada pela empresa depois de sua participação no Programa DAMF – “Dê a Mão Para o Futuro: Reciclagem, Trabalho e Renda”, coordenado pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC). As informações estão no site www.vgresiduos.com.br e foram publicadas em 2018.

Foto: site www.vgresiduos.com.br

Multinacional americana de produtos para cuidados pessoais e bem-estar, a gigante Kimberly-Clark também participa do DAMF. Com o programa Meta 2022, a empresa pretende manter 10.800 toneladas de produtos e embalagens fora dos aterros sanitários. Todas as informações estão no site www.kimberly-clark.com.br .

Na opinião de Mauricio, nosso país ainda tem muito o que avançar, na área de resíduos. O Brasil destinou a lixões ou aterros controlados 29,5 milhões de toneladas de resíduos, segundo o Panorama dos Resíduos Sólidos 2018/2019 da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe). Já na logística reversa, o Panorama revela que em 2018 o programa recebeu 4.774 toneladas de embalagens plásticas. Deste total, 4.674 toneladas (98%) receberam o destino adequado.

            Segundo o site www.epbr.com.br, em março último a Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia) lançou o Plano de Ação da Economia Circular e Estratégia Industrial, com o objetivo de reduzir pela metade o descarte de materiais em setores como a produção de eletroeletrônicos e de embalagens, com amplo impacto sobre a cadeia produtiva de plásticos.

A maioria dos estados membros da União Europeia recicla, atualmente, menos de 50% do plástico consumido, ainda segundo publicado no site.

SOBRE A EMPRESA

A LogReversa está localizada em São Paulo capital e atua desde o dia 6 de janeiro de 2020. Composta por cinco pessoas, a equipe desenha e gerencia cadeias reversas para os mais diversos segmentos empresariais em todo o Brasil. Apresentando soluções para a cadeia completa, incluindo a destinação adequada dos produtos ao final de sua vida útil, a LogReversa valoriza e defende a preservação do meio ambiente, ajudando as empresas a serem mais sustentáveis.

Foto: tela exemplo do sistema de gerenciamento de estoque e movimentações de logística reversa da LOGREVERSA.

O ENTREVISTADO

Mauricio Abrão Iankis Ajzenberg é graduado em Engenharia Civil pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (POLI-USP) e pós-graduado em Gerenciamento de Empresas pela Universidade de São Paulo (USP). Foi Diretor de Logística e de Novos Negócios da Treelog (empresa de logística do Grupo Abril) e Diretor Geral da SPDL – São Paulo Distribuição e Logística Ltda (joint venture entre os grupos jornalísticos O Estado de São Paulo e Folha da Manhã). Recebeu o Prêmio ABRALOG – Associação Brasileira de Logística (versão 2017) na categoria “Melhor Projeto de Logística Urbana” e desde 2011 é Membro Permanente do Conselho Curador do IBS – Instituto Brasileiro dos Profissionais de Supply Chain.

Eng. Abrão Iankis Ajzenberg