OPINIÃO DE ESPECIALISTA: Métodos de intervenção e reabilitação de áreas contaminadas

Foto: IPT
Foto: IPT

Imagem: Divulgação | Por Fabrício Mirandola, Diretor Técnico da Área de Cidades, Infraestrutura e Meio Ambiente do IPT para seção OPINIÃO DE ESPECIALISTA AMBIENTAL MERCANTIL

Janeiro de 2023 – Áreas contaminadas, no contexto de passivo ambiental, são terrenos que possuem concentrações de substâncias químicas acima de um valor de referência, indicando a existência de risco potencial à segurança, à saúde humana ou ao meio ambiente.

No Estado de São Paulo existem 6.571 áreas contaminadas e reabilitadas cadastradas na CETESB – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo

A reabilitação dessas áreas para usos diversos (residencial, industrial, agrícola) envolve a implantação de medidas de intervenção: remediação, engenharia, emergencial e controle institucional.  

As medidas de controle institucional são ações que podem substituir ou complementar as técnicas de remediação, visando afastar o risco e também impedir ou reduzir a exposição de um determinado receptor que seja sensível aos contaminantes presentes nas águas subterrâneas contaminadas. Algumas dessas medidas podem ser executadas por meio da imposição de restrições de uso de água subterrânea.  

A aplicação dessas medidas de restrição de uso da água subterrânea é crescente, o que consequentemente impede o uso dos aquíferos.  Estas restrições, somadas à intensificação de eventos de crise hídrica, confere a todos a necessidade de se buscar formas de revisão dessa aplicação.

Um projeto em andamento no IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas, que conta com recursos do Fehidro, prevê estudos relacionados à avaliação da possível influência da atenuação natural na qualidade de aquífero profundo em áreas reabilitadas.  

A tecnologia de atenuação natural monitorada inclui processos físicos, químicos e biológicos que reduzem a massa ou concentração de contaminantes nas águas subterrâneas sob condições intrínsecas. Essa tecnologia pode ser uma abordagem eficaz e de baixo custo para remediação de locais contaminados.  

As áreas contaminadas por solventes halogenados selecionadas para o estudo estão localizadas no bairro de Jurubatuba, em São Paulo/SP. Essas áreas foram escolhidas conjuntamente com parceiros do projeto (Universidade de São Paulo/IGc) e com informações disponíveis da Cetesb e do DAEE. 

O projeto busca realizar pesquisas de atenuação natural que possam indicar a necessidade de continuidade de sua aplicação, ou adoção de novas medidas ou mesmo do encerramento da aplicação da restrição.  

Sobre o autor

Fabrício Mirandola
Diretor Técnico da Área de Cidades, Infraestrutura e Meio Ambiente do IPT

Fabrício Mirandola é Diretor Técnico da Área de Cidades, Infraestrutura e Meio Ambiente do IPT.

Formado em Geologia pelo Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo – USP (2003) e Mestre em Tecnologia Ambiental pelo Instituto de Pesquisa Tecnológica do Estado de São Paulo – IPT (2008). Atualmente trabalha como Investigador e Diretor de Cidades, Infraestrutura e Meio Ambiente no Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo – IPT.

LinkedIN | Site: IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas

Informamos que os conteúdos publicados para seção Opinião de Especialistas AMBIENTAL MERCANTIL NOTÍCIAS são independentes e de responsabilidade dos autores, não refletindo, necessariamente, na opinião editorial do nosso canal.

Imprensa

AMBIENTAL MERCANTIL TREINAMENTOS

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 3424 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL NOTÍCIAS é um canal exclusivo sobre ESG e Sustentabilidade, Economia Circular, Resíduos e Reciclagem, Saneamento, Energias Renováveis (Solar Eólica, Biogás e muito mais). Tudo sobre meio ambiente e tecnologias ambientais, cursos e eventos!