O ano mais verde da Trisul: como a construtora está mudando os padrões do construir sendo mais amigável com o meio ambiente

softelec
Trisul Sustentabilidade
Trisul Sustentabilidade

Imagem: Divulgação | Com certificação AQUA, selo Procel e reuso de gesso, a companhia paulista oferece baixo impacto ambiental e proporciona economia aos seus clientes

Publicidade
Publicidade
AMBIENTAL MERCANTIL

Com um conjunto de políticas e ações econômicas e sociais responsáveis, a sustentabilidade no meio imobiliário busca minimizar os impactos negativos ao meio-ambiente e à sociedade. Gerenciar os recursos de toda a sua cadeia produtiva, além de atuar de maneira transparente e responsável, é o desafio das construtoras.

“Para nós, já é realidade adotar práticas, criar programas e ações que estabeleçam um padrão sustentável em nossos canteiros de obras e nas comunidades do entorno – tudo isso sem deixar de nos comprometermos com a melhoria do produto final”, afirma o diretor de engenharia da construtora e incorporadora paulista Trisul, Roberto Júnior.

A companhia adotou como política a preferência por canteiros sustentáveis e socialmente responsáveis. Para tanto, criou o Programa de Sustentabilidade das Obras (PSO), que entre algumas das ações estão compra de materiais sustentáveis, controle do ruído, uso racional da água e energia e gestão de resíduos em seus canteiros. A construtora reaproveita a massa respingada, faz destinação correta de latas de tintas, utiliza agregado reciclado e usa água de reuso para limpeza das obras.

“Nossa meta é reciclar 100% dos resíduos de obra. Também promovemos a destinação correta de lâmpadas queimadas, fazemos a proteção de árvores da calçada, utilizamos redutores de vazão, realizamos a coleta seletiva com a comunidade e temos parcerias com cooperativas”, diz Roberto.

Parceria pioneira

Este ano, a Trisul iniciou, junto com a Placo e a Saint-Gobbain, um programa inédito para reduzir o descarte de gesso na construção. Também conhecida como construção a seco, a técnica utiliza placas em vez de alvenaria ou gesso em pó tradicional, trazendo versatilidade, além das vantagens de não utilizar água, acelerar as obras e de produzir menos resíduos.

“O Drywall gera apenas 5% de resíduo, o que é 15% a menos do que na alvenaria, que no caso não será desperdiçado. A Trisul reaproveita tudo e agora, em parceria com a Saint-Gobain, somos pioneiros em reuso do gesso, ampliando a economia circular”, conta Roberto.

Neste processo, todos os resíduos de Drywall são coletados e armazenados em local específico nos canteiros, separados de outros materiais, como madeira, metais, papéis e plástico, e levados pela fabricante Placo para reaproveitamento em sua linha de produção. Os resíduos são levados para a reciclagem e então passam por um processo de trituração e remoção do papel. A técnica de reuso está sendo utilizada no empreendimento Sonare Pinheiros da Trisul.

“Estimamos retornar à cadeira produtiva cerca de 80m³ do material residual de placas de gesso. Isso sem contar na antecipação de entrega ao cliente, que também é reduzida, já que a construção a seco demanda menos tempo”, afirma Roberto Júnior.

Certificações reconhecidas

A Trisul obtém certificação AQUA, que tem como principal objetivo promover edificações que, durante sua construção, vida útil e desconstrução, gerem baixos impactos ambientais, garantindo sempre o bem-estar, a saúde de seus usuários e a viabilidade econômica dos empreendimentos. E também é a primeira no Brasil a contar com o selo Procel de eficiência energética em seus empreendimentos.

Na prática os benefícios e vantagens são diversos.

“Para nossos clientes é a garantia de mais conforto e saúde com economia de água e energia, economia nas despesas de condomínio como água, energia, limpeza, conservação e manutenção. A conscientização e o menor impacto na vizinhança e na sociedade, com redução das emissões de gases de efeito estufa e da poluição é também uma vantagem”, reconhece Roberto. A valorização do empreendimento é outra vantagem. “Com as certificações e nossas políticas sustentáveis, obtemos um portfólio diferenciado no mercado, fazemos economia de recursos no canteiro de obra, construímos empreendimentos com alta qualidade ambiental, além do reconhecimento nacional e internacional”, conclui.

Linha de crédito imobiliário verde

Também por conta das ações focadas na economia ambiental, a construtora obteve financiamento pelo Plano Empresário Verde do Itaú BBA, produto que é resultado de uma parceria do banco com a International Finance Corporation (IFC) e consiste em oferecer condições especiais de financiamento aos empreendimentos que atingirem economias de pelo menos 20% em água, energia e energia embutida em materiais.

O plano envolve também a capacitação técnica para incorporadoras imobiliárias clientes do banco e serviços de consultoria para identificação de oportunidades no mercado de edifícios sustentáveis. Inclui, ainda, a certificação EDGE, uma inovação da IFC que tem como base um software que fornece soluções técnicas para adaptar o projeto do empreendimento a uma construção verde, com resultados ambientais e financeiros. Com a certificação EDGE, os imóveis poderão utilizar uma placa de obra diferenciada, indicando que se trata de um empreendimento greenbuilding.

“Há pelo menos 10 anos a Trisul vem investindo em novas tecnologias e em processos sustentáveis. As parcerias e certificações que recebemos até aqui mostram que estamos no caminho certo – o futuro da construção civil é verde”, finaliza Roberto.

Site oficial: https://www.trisul-sa.com.br/

Crédito:
Imprensa | Trisul

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
About Ambiental Mercantil Notícias 5371 Articles
AMBIENTAL MERCANTIL é sobre ESG, Sustentabilidade, Economia Circular, Resíduos, Reciclagem, Saneamento, Energias e muito mais!