O papel do setor industrial no desenvolvimento sustentável

softelec

Imagem: Divulgação | por Rosemary França Vianna, Country Manager da TÜV Rheinland Brasil

Publicidade
Publicidade
AMBIENTAL MERCANTIL

Setembro de 2022 – Todos os 193 Estados-Membros da ONU assinaram, em 2015, os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas para 2030, estabelecendo uma agenda ampla e ousada para reduzir a pobreza, promover a prosperidade inclusiva e preservar o meio ambiente.

Desde então, líderes de negócios conscientes têm buscado incorporar os 17 ODS — ou parte deles — ao planejamento estratégico, conforme o setor industrial, entendendo que somente grandes ações envolvendo inovação, transparência e compliance, entre outras, vão garantir a transformação econômica sustentável.

O Programa Economia e Desenvolvimento Global, em estudo junto com a ONU sobre o papel do setor privado no desenvolvimento sustentável global, divulgou o relatório “Better Business, Better World“.

O relatório destaca que não apenas os ODS precisam do setor privado, mas as empresas também precisam dos ODS. Especificamente, o relatório argumenta que modelos de negócios sustentáveis podem abrir oportunidades econômicas de até US$ 12 trilhões e aumentar o emprego no mundo em desenvolvimento em até 380 milhões de vagas até 2030.

Mas, segundo o relatório da ONU “The Sustainable Development Goals 2022“, à medida que o mundo enfrenta crises e conflitos globais em cascata e interligados, as metas estabelecidas na Agenda 2030 para o Desenvolvimento estão em risco.

Com a pandemia de Covid-19 em seu terceiro ano e a guerra na Ucrânia, o cenário é de falta de alimentos e de energia, de crises humanitárias e de refugiados – tudo no contexto de uma crise climática.

Segundo analistas da ONU, enquanto o mundo emerge lentamente da crise, dados de alta qualidade são mais importantes do que nunca. O que é necessário agora são mais investimentos em dados e informações que otimizem a infraestrutura, aproveitando as lições aprendidas durante a pandemia.

Para eles, o objetivo é enfrentar a crise para podermos encontrar respostas oportunas, antecipar necessidades futuras e projetar ações urgentes, necessárias para realizar a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Enfrentando o desafio: rumo ao futuro

E como o setor industrial pode contribuir para o novo futuro? Com processos sustentáveis, métricas, transparência, a partir de um projeto orientado para cada organização. Somente as empresas que atuam econômica, ecológica e socialmente de forma abrangente terão sucesso no longo prazo.

A sustentabilidade não pode ser uma tendência, precisa ser a base do negócio.

As organizações podem contar com parceiros na transição rumo à sustentabilidade real em seus negócios, a partir de um exame minucioso dos desafios sociais e ambientais, dos requisitos de governança corporativa responsável e das demandas dos stakeholders.

Uma análise de materialidade em vários estágios determina a importância (relevância) que os stakeholders internos e externos atribuem a vários aspectos de sustentabilidade e o impacto que as atividades de negócios têm sobre eles.

Essas análises devem envolver estudos sobre os impactos das atividades industriais no clima, na saúde, nos ecossistemas, na oferta de água e de energia, assim como podem contribuir para melhorar as condições de trabalho e promover um consumo mais consciente por meio da economia circular.

Para cada empresa, existe uma maneira única de contribuir para a resolução de desafios ambientais e sociais e de moldar a sua própria proposta de valor sustentável. O grande desafio está em identificar como iniciar essa jornada e seguir rumo ao futuro de acordo com a Agenda 2030.

Crédito:
Imprensa

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 5263 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL é sobre ESG, Sustentabilidade, Economia Circular, Resíduos, Reciclagem, Saneamento, Energias e muito mais!