Na COP15, Guterres convoca governos a buscar a paz com a natureza e a biodiversidade

softelec
UN Photo/Evan Schneider
UN Photo/Evan Schneider

Imagem: Divulgação

  • Na COP15, em Montreal, Canadá, o secretário-geral António Guterres se reúne com representantes da juventude para discutir o papel da juventude no apoio a uma estrutura de biodiversidade global pós-2020 justa e equitativa.
  • Secretário-geral da ONU discursou na abertura da Conferência sobre Biodiversidade nesta terça-feira; evento reúne líderes de todo o mundo até este 19 de dezembro em Montreal, Canadá; chefe das Nações Unidas enumerou sugestões para reverter crise, como financiamento de soluções verdes e engajamento do setor privado.
Publicidade
Publicidade
CITER 2024 Piauí

Dezembro de 2022 – O secretário-geral da ONU, António Guterres, discursou na abertura da COP15 nesta quarta-feira.

O encontro sobre biodiversidade acontece em Montreal, no Canadá, até 19 de dezembro.

Em seu discurso, o chefe da ONU destacou que a Conferência sobre Biodiversidade traz uma oportunidade para construir paz com a natureza. Ele afirma que os governos precisam desenvolver planos robustos em todas as frentes.

Soluções verdes

Ao afirmar que o mundo trata o planeta como latrina e que estamos “cometendo suicídio “por procuração”, Guterres destacou as perdas que a falta de cuidado com a natureza já causam. Ele estima um prejuízo de US$ 3 trilhões com a deterioração da natureza, além da perda de empregos, vidas e do aumento da fome e doenças.

Guterres acredita que as autoridades devem redirecionar subsídios e isenções fiscais para soluções verdes, como energia renovável, redução de plástico, produção de alimentos ecológicos e extração sustentável de recursos.

Além disso, o líder das Nações Unidas afirma que os planos devem reconhecer e proteger os direitos dos povos indígenas e comunidades locais, que ele avalia como “guardiões da biodiversidade”.

Para o secretário-geral, o setor privado deve balancear lucro e colocar a proteção dos ecossistemas em primeiro lugar. Guterres explica que isso significa que a indústria alimentar e agrícola procure formas sustentáveis de produção e meios naturais de polinização, controle de pragas e fertilização.

Financiamento

O chefe da ONU reforça que os países desenvolvidos devem fornecer apoio financeiro para os países do Sul Global, que são “como guardiões da riqueza natural do nosso mundo”.

Ele pediu às instituições financeiras internacionais e bancos multilaterais de desenvolvimento que alinhem suas carteiras com a conservação e uso sustentável da biodiversidade.

Segundo Guterres, a comunidade global precisa apoiar todos os países enquanto eles protegem e restauram seus ecossistemas após “séculos de degradação e perda”.

Não há Planeta B

Em um chamado para que os governos tomem responsabilidade pela natureza, biodiversidade e humanidade, Guterres afirmou que “deixando de lado os sonhos ilusórios dos bilionários, não existe Planeta B”.

Assim, ele concluiu seu discurso afirmando que, embora se inspire com jovens ativistas ambientais de todo o mundo, ele acredita que “não podemos passar a responsabilidade para eles limparem nossa bagunça”.

O chefe da ONU pediu que os representantes aceitem a responsabilidade pelos danos causados e tomem medidas para corrigi-los.

Crédito:
UN News

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 5110 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL é sobre ESG, Sustentabilidade, Economia Circular, Resíduos, Reciclagem, Saneamento, Energias e muito mais!