Comemorando o Dia Mundial da Água com água segura, será?

Por Roseane Souza, coordenadora da Câmara Técnica de Resíduos Sólidos da ABES-SP, com exclusividade para o Dia Mundial da Água para AMBIENTAL MERCANTIL NOTÍCIAS| Seção Opinião de Especialistas.

As sociedades, mesmo as mais rudimentares, sempre consideraram a vida e a saúde como um bem indispensável. A noção de saúde como condição necessária à vida é percebida intuitivamente pelos agrupamentos humanos e pelas pessoas individualmente.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS) e seus países membros, “todas as pessoas, em quaisquer estágios de desenvolvimento e condições socioeconômicas têm o direito de ter acesso a um suprimento adequado de água potável e segura”. 

Mas o que seria “água potável”? 

Segundo o Ministério da Saúde é água que atenda ao padrão de potabilidade e que não ofereça riscos à saúde. Mas afinal e o que seria risco à saúde? Isso não foi  estabelecido no padrão de potabilidade, embora existem várias definições de risco à saúde, incluindo a curto, médio e longo prazo. 

E, “água segura” ?

Segura, refere-se a uma oferta de água que não representa um risco significativo à saúde, quantidade suficiente para atender a todas às necessidades individuais, que estão disponíveis continuamente e que tenham um custo acessível. Estas condições podem ser resumidas em cinco palavras-chave: qualidade, quantidade, continuidade, cobertura e custo.

Ficarei com duas palavras-chaves principais

A água para consumo humano deve ter qualidade dentro de padrões de saúde, a fim de não causar agravos e doenças na população e, ser disponibilizada em quantidade satisfatória,  considerando todas as populações, da cidade , do campo, das floresta, etc. 

No momento no qual estamos em pandemia, a água disponível enaltece o divisor de água, aqueles brasileiros que podem ter higiene e , aquele excluídos das politicas de saneamento. 

Tornar a certeza que as pessoas têm água limpa para beber seria uma grande conquista importante para a saúde pública, portanto produzir água potável é  buscar satisfazer a qualidade e quantidade adequada que não representa risco para a população. 

Sobre a Autora

Eng. Roseane Souza é coordenadora da Câmara Técnica de Resíduos Sólidos da ABES-SP

Roseane M. Garcia Lopes de Souza, é Consultora em Plano de Segurança da Água. Engenheira Sanitarista e Ambiental , Roseane Souza é coordenadora da Câmara Técnica de Resíduos Sólidos e de Saúde Ambiental da ABES-SP

Informamos que os conteúdos publicados são contribuições independentes e de inteira responsabilidade dos autores, não refletindo, necessariamente, a opinião do corpo editorial Ambiental Mercantil Notícias.

Crédito:
Ambiental Mercantil Notícias | Opinião de Especialista

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 1131 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL NOTÍCIAS é um canal que promove o meio ambiente, através da promoção de tecnologias ambientais e inovações, produtos e serviços de sustentabilidade, nacionais e internacionais.