OPINIÃO DE ESPECIALISTA: “O que esperar do mercado de carbono em 2023: saiba que o Brasil tem potencial para ser o maior do mundo”

softelec

Imagem: Divulgação | Por Bruno Matta, engenheiro ambiental e CEO da climate tech brCarbon para seção Opinião de Especialista AMBIENTAL MERCANTIL

Publicidade
Publicidade
CITER 2024 Piauí

Fevereiro de 2023 – O Brasil tem potencial para ser o maior do mundo quando o assunto é o mercado de carbono em 2023, diante da imensidão das nossas florestas e das diversas alternativas de ações sustentáveis adotadas pelo nosso agronegócio. E o novo ano apresenta um cenário que permite, enfim, avanços significativos para que isso se concretize.

Para contextualizar, de forma resumida, como funciona o setor: um crédito de carbono consiste em uma certificação digital que comprova que uma empresa ou um projeto ambiental evitou em um determinado ano a emissão de uma tonelada de CO2 (dióxido de carbono, principal gás que age no efeito estufa) ou CO2 equivalente (outros gases, como metano e óxido nitroso, que também contribuem para o efeito estufa).

No Brasil, por enquanto, temos o mercado voluntário. Ou seja, ninguém é obrigado a comprar crédito de carbono para compensar os impactos negativos de suas atividades sobre o meio ambiente. Mas cada vez mais empresas aderem, seja por consciência ou por pressão de investidores e de seus consumidores. Ou mesmo na expectativa de se antecipar a regulamentação do mercado, o que já ocorre em diversos países.

A mudança do governo federal traz sinalizações positivas para a regulamentação do mercado de carbono no Brasil. Antes mesmo de assumir o cargo, o hoje presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, participaram da COP27 (Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima), em novembro de 2022. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) também sinalizou em tornar regular o programa de compra de créditos de carbono, com o objetivo de estimular projetos e contribuir para a preservação do meio ambiente. A escolha se dará por meio de chamadas públicas e a de 2023 já está prevista.

Segundo estudo da McKinsey & Company, o Brasil tem potencial de responder por até 15% da oferta mundial de créditos voluntários por meio de soluções naturais, como o reflorestamento e a conservação de florestas ameaçadas, que trazem ainda benefícios como recuperação da biodiversidade e da segurança hídrica. O potencial do Brasil é um dos maiores do mundo, equivalente somente ao da Indonésia (15%), e muito acima de outros países, como Estados Unidos (3%) e China (2%).

Por outro lado, de acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), o aumento das emissões será 10,6% nos próximos anos.

Com isso, as liberações de CO2 precisam ser cortadas em 43%, até 2030, em comparação com os níveis de 2010. Desta forma, transformar esse potencial brasileiro em realidade é urgente.

Sobre o autor

Bruno Matta é CEO da BRCarbon e possui experiência na elaboração de projetos de carbono e no processo de validação (setor privado); elaboração de políticas públicas relacionadas ao tema das mudanças climáticas e no terceiro setor para implementar as ações. Contato via LinkedIN.

Sobre a BRCarbon Climate Tech

A BRCarbon (BRC) promove soluções climáticas naturais com recursos financeiros do mercado de carbono para mitigar o aquecimento global. Atua com estratégias e tecnologias inovadoras para viabilizar ações de conservação florestal, restauração ecológica e agropecuária sustentável.

Site oficial: https://brcarbon.com.br

Informamos que os conteúdos publicados para seção Opinião de Especialistas AMBIENTAL MERCANTIL NOTÍCIAS são independentes e de responsabilidade dos autores, não refletindo, necessariamente, na opinião editorial do nosso canal.

Imprensa

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 5109 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL é sobre ESG, Sustentabilidade, Economia Circular, Resíduos, Reciclagem, Saneamento, Energias e muito mais!