BAIXAR PDF: ‘Circularity Gap Report 2024’ apresenta novos caminhos para transformação rumo a uma Economia Circular global

softelec
A Fundação Circle Economy, responsável pelo Circularity Gap Report, continua sua parceria com a Deloitte para impulsionar mudanças sistêmicas.
A Fundação Circle Economy, responsável pelo Circularity Gap Report, continua sua parceria com a Deloitte para impulsionar mudanças sistêmicas.

Imagem: Divulgação | Tradução e adaptação de Simone Horvatin, jornalista (MTB 0092611/SP), membro da da Associação dos Jornalistas Técnicos da Alemanha (BDFJ), em contribuição a Ambiental Mercantil Notícias.

PRÊMIO INTERNACIONAL 2023

PRÊMIO INTERNACIONAL 2023

Ambiental Mercantil recebe prêmio de sustentabilidade ambiental 2023 pela renomada Build Magazine da Inglaterra

Janeiro de 2024 – Conforme o ‘Circularity Gap Report 2024′, nos últimos cinco anos, o número de discussões, debates e artigos relacionados à economia circular quase triplicou, apesar da taxa global de circularidade ter caído de 9,1% para 7,2%. Isso significa que, de todos os materiais consumidos globalmente, estamos consumindo mais materiais virgens do que nunca – enquanto a participação de materiais secundários está em declínio.

Dados impactantes apresentados revelaram uma lacuna entre o aumento do debate sobre a economia circular e a diminuição da circularidade global. Como é possível reverter essa tendência decrescente?

O relatório ‘Circularity Gap Report 2024′ traz insights e soluções práticas para impulsionar o mundo em direção a circularidade e foi lançado no último dia 24/1 ao vivo dos estúdios Deloitte em Amsterdã, na Holanda. Desenvolvido em colaboração com a Circle Economy e mantendo a parceria estratégica com a Deloitte pelo segundo ano consecutivo, o ‘Circularity Gap Report 2024′ apresenta soluções tangíveis para que os setores público e privado possam colaborar.

Nos últimos cinco anos, a humanidade consumiu incríveis 500 bilhões de toneladas de materiais – quase igual ao que foi consumido durante todo o século XX.

Impulsionar o progresso em direção a uma economia circular significa abordar a origem das causas dos impactos lineares e mudar as regras do jogo para favorecer as práticas circulares. O ‘Circularity Gap Report 2024′ esboça como reformas políticas, tributárias e trabalhistas podem remodelar os sistemas globais para promover a circularidade.

Os setores interessados em colaborar com a circularidade podem aproveitar os dados do relatório ‘Circularity Gap Report 2024′ e priorizar suas rotas circulares, baseando-se em uma análise sólida de dados. Ivonne Bojoh, CEO da Circle Economy Foundation diz:

“Legisladores, líderes da indústria e instituições financeiras podem colaborar, focando em áreas específicas e contribuir com a mudança sistêmica necessária para garantir a transição para uma economia circular mais justa, com soluções circulares pensadas para atender às populações mais vulneráveis, reduzir desigualdades no mercado de trabalho e aumentar as oportunidades de empregos globalmente.”

Em última análise, o relatório propõe uma estratégia para libertar-se de práticas econômicas falhas, conhecidas por serem exploratórias social e ambientalmente. Isso exige disponibilizar capital, implementar políticas ousadas e contextualmente apropriadas, e fechar o loop entre sustentabilidade e circularidade. Políticas e estruturas legais podem incentivar práticas sustentáveis e circulares, penalizando aquelas lineares e prejudiciais.

Diferentes Soluções para Realidades Diversas

O relatório não apenas destaca problemas, mas também oferece soluções específicas adaptadas a diferentes perfis de países. As estratégias circulares foram segmentadas para os setores de alimentação, construção civil e e bens manufaturados; ajustadas aos contextos dos países Shift (ricos), Grow (emergentes) e Build (em desenvolvimento).

Países ‘Shift’ (ricos, de alta renda)

Os países ricos podem ter maior impacto ajustando regulamentações nas suas indústrias de construção e manufatura. Exemplos incluem incentivar a adaptação e reutilização de edifícios, melhorar efetivamente a gestão dos resíduos da construção civil (RCC). Desenvolver certificações para dar garantias aos materiais de construção secundários, estabelecer padrões de vida útil e durabilidade dos produtos recicláveis, além de fortalecer a legislação do consumidor sobre o Direito de Manutenção e Reparo.

Países Grow (emergentes, de renda média)

Podem impulsionar a agricultura e manufatura circulares como uma prioridade estratégica. Governos locais têm a capacidade de estabelecer e aplicar proibições públicas à poluição, implementar a Responsabilidade Estendida (do produtor e fabricantes), que inclui o rastreamento da sustentabilidade da cadeia de suprimentos, exigindo ainda que uma porcentagem mínima de materiais recicláveis seja reutilizada na produção de novos produtos manufaturados. Além disso, direcionar investimentos para práticas agrícolas regenerativas e agroflorestais. A sincronização das políticas é fundamental para assegurar que todos os investimentos futuros estejam alinhados com os padrões de bem-estar ecológico e social.

Países ‘Build’ (em desenvolvimento, de baixa renda)

Podem priorizar o desenvolvimento sustentável por meio de políticas circulares, fundos de desenvolvimento e transição podem ser usados para apoiar medidas circulares em setores-chave, como construção civil e agricultura. Isso inclui relevar débitos e melhorar o acesso ao capital de desenvolvimento e transição, garantir os direitos dos agricultores familiares e incentivar o uso de materiais locais, orgânicos e materiais secundários (recicláveis) na construção civil.

Finalmente, o relatório destacou a necessidade de possibilitar uma transição justa, incluindo que a educação ambiental deve fazer parte do curriculum, com cursos de curto prazo para aperfeiçoamento profissional, para atender à demanda imediata e crescente na economia verde por vagas de técnicos em energias renováveis a especialistas em manutenção e reparos.

Baixa PDF

O PDF do ‘Circularity Gap Report 2024’ está disponível para download.

A Fundação Circle Economy, responsável pelo Circularity Gap Report, continua sua parceria com a Deloitte para impulsionar mudanças sistêmicas.

A Fundação Circle Economy, criadora do ‘Circularity Gap Report tem a satisfação de continuar sua colaboração com a Deloitte pelo segundo ano consecutivo. Essa parceria busca impulsionar uma mudança sistêmica, investigando soluções e criando oportunidades de colaboração entre os setores públicos e privados.

Site oficial: https://www.circularity-gap.world/2024

Temas Relacionados

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 4812 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL é sobre ESG, Sustentabilidade, Economia Circular, Resíduos, Reciclagem, Saneamento, Energias e muito mais!