Vinho de caju e cookies com ingredientes reciclados: confira essas e outras inovações alimentícias em desafio de economia circular

softelec
As empresas que estão participando da jornada desenvolveram suas ideias de produtos alimentícios com base no design circular ao longo de 2023.
As empresas que estão participando da jornada desenvolveram suas ideias de produtos alimentícios com base no design circular ao longo de 2023.

Imagem: Divulgação | PMEs, startups e grandes empresas participantes, com suas ideias aprovadas, têm agora a chance de dar vida aos seus produtos alimentícios inovadores

PRÊMIO INTERNACIONAL 2023

PRÊMIO INTERNACIONAL 2023

Ambiental Mercantil recebe prêmio de sustentabilidade ambiental 2023 pela renomada Build Magazine da Inglaterra

Fevereiro de 2024 – O Desafio ‘O Grande Redesenho de Alimentos’, criado pela Fundação Ellen MacArthur em 2022, chega a uma nova etapa: a fase de produção. As empresas que estão participando da jornada desenvolveram suas ideias de produtos alimentícios com base no design circular ao longo de 2023.

Agora, vão colocá-las em prática, desenvolvendo os itens desde a escolha de seus fornecedores e ingredientes, priorizando produções regenerativas, ingredientes diversos e reciclados (upcycled), até as embalagens.

Até o fim de 2024, consumidores poderão ver que ajudam a natureza a prosperar, com uma abordagem inovadora em toda a sua produção. Segundo Luisa Santiago, diretora executiva para a América Latina da Fundação Ellen MacArthur:

“O principal objetivo com o Desafio é mostrar como as empresas de alimentos podem ser as catalisadoras dessa mudança abrangente no sistema de alimentos. As empresas que aceitaram o desafio são pioneiras nessa empreitada. Elas estão abrindo os caminhos para mostrar o que já é possível de se fazer”.

Além disso, as empresas não estão sozinhas nessa jornada. Os apoiadores varejistas auxiliarão os participantes nesta fase de produção a tornar os produtos interessantes aos consumidores. Esse processo permitirá que as empresas pensem não só nos aspectos de circularidade dos produtos, como também na aplicação comercial dessas ideias. Na última etapa do Desafio, a fase de exibição, os apoiadores varejistas também devem oferecer espaço gratuito em suas prateleiras para que esses produtos cheguem até os consumidores de forma acessível.

Conheça algumas empresas brasileiras participantes e seu produtos inovadores:

A Nutricandies é uma startup goiana de inteligência em processamento e rastreabilidade para a transformação de subprodutos em superalimentos nutritivos em um modelo de economia circular do sistema agroalimentar, com enfoque na cadeia do cacau.

Produto a ser produzido no Desafio: creme de chocolate e creme adoçante nutritivo feito com cacau e subprodutos advindo de sistemas agroflorestais e promovendo o aproveitamento máximo dos alimentos através da incorporação do mel de cacau e outros vegetais ‘fora do padrão’.

A Enoteca Saint VinSaint é pioneira no movimento de vinhos naturais, orgânicos e biodinâmicos no Brasil, trabalhando com insumos 100% orgânicos e artesanais, provenientes de hortas orgânicas próprias ou fornecidas por pequenos produtores ao redor do estado de São Paulo, respeitando a sazonalidade e as tradições alimentares.

Produto a ser produzido no Desafio: vinho de caju a partir do ‘pseudofruto do caju’ que é comumente descartado pela indústria de suco de fruta, e mel de abelhas nativas;

A Viva Regenera atua no desenvolvimento e distribuição de ativos da natureza e nutrimentos saudáveis, 100% naturais, cultivados sem o uso de agrotóxicos e insumos químicos, em sistemas regenerativos: agrofloresta, agroecologia e extrativismo sustentável.

Produto a ser produzido no Desafio: blend de cacau em pó feito de Cacau Criollo amazônico e outras especiarias amazônicas, produzidos em sistemas regenerativos.

A Puravida é uma FoodTech brasileira que produz suplementos e alimentos “clean label”, ou seja, sem substâncias artificiais e sempre que possível orgânicos e feitos com materiais naturais.

Produto a ser produzido no Desafio: bebida à base de plantas com ingredientes da biodiversidade brasileira.

A Amazonika Mundi é uma empresa de alimentos que apresenta em seu portfólio produtos como hambúrgueres, almôndegas e bolinhos feitos à base de plantas e com ingredientes amazônicos. O fornecimento dos ingredientes ajuda a promover a bioeconomia e restaurar a biodiversidade e gerar renda para as comunidades locais.

Produto a ser produzido no Desafio: “Tirinha Amazonika”, alimento feito a partir da fibra do caju que seria desperdiçada, e de ingredientes amazônicos produzidos de maneira a manter a floresta em pé, como óleo de patauá de farinha de babaçu.

A Native é uma empresa de alimentos que desenvolve e aplica técnicas de produção que regeneram, revitalizam e equilibram produtividade e preservação dos recursos naturais. Sua linha de produtos inclui açúcares, cafés, bebidas de frutas, azeite extra virgem, chás, achocolatado, cereais matinais, granola, massas, cookies, chocolates, entre outros.

Produto a ser produzido no Desafio: cookies de maçã e canela cultivados com práticas regenerativas e farinha de semente de uva reciclada.

Site oficial: https://www.ellenmacarthurfoundation.org/pt/desafio-o-grande-redesenho-de-alimentos/o-desafio-em-detalhes

Imprensa

Temas Relacionados

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 4814 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL é sobre ESG, Sustentabilidade, Economia Circular, Resíduos, Reciclagem, Saneamento, Energias e muito mais!