BAIXAR PDF: Garimpo e extração de madeira ilegais podem ser causa de 442 focos de incêndio na Amazônia Legal no primeiro trimestre

Relatório da Synergia aponta focos de calor na Amazônia. Foto: Bruno Kelly/Amazônia Real. Wikimedia Commons
Relatório da Synergia aponta focos de calor na Amazônia. Foto: Bruno Kelly/Amazônia Real. Wikimedia Commons

Imagem: Divulgação

  • Consultoria socioambiental Synergia monitora e analisa as 10 áreas protegidas na Amazônia Legal que mais apresentam focos de calor;
  • Maiores incidências de focos de calor estão nas TIs (Terras Indígenas).

Julho de 2022 – A Amazônia Legal vem sofrendo impactos relacionados ao processo recente de uso e ocupação do solo.

Somente no primeiro trimestre de 2022, 442 focos de incêndio foram detectados em áreas protegidas (Unidades de Conservação e Terras Indígenas), conforme o Relatório de Focos de Calor, elaborado pelo Centro de Estudos da Synergia que monitora, para esse relatório trimestral, as 10 áreas protegidas na Amazônia Legal com maior incidência de focos no período. 

De acordo com o relatório, é possível notar que os focos de calor no primeiro trimestre desse ano aconteceram em regiões onde: 

Ainda de acordo com Lima, muitas das interações acontecem como método de limpeza de terrenos, para renovação da vegetação e início de temporada de plantio também.

  • Há registros recentes de ocupações, principalmente por conta de garimpos ilegais – como é o caso das áreas próximas ao Rio Negro; 
  • Há intensificação de conflitos históricos de ocupações irregulares de terras, extração ilegal de madeira e garimpos ilegais – como é o caso de Terras Indígenas localizadas em Roraima: Yanomami, São Marcos e Raposa Serra do Sol, essa última com 154 focos nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2022. 

“As 5 Unidades de Conservação que mais apresentaram focos de calor neste primeiro trimestre de 2022 são do grupo de Unidade de Uso Sustentável, mais especificamente na categoria de Área de Proteção Ambiental (APA). Ou seja, entendemos que os focos de calor estão relacionados com a permissão de práticas de atividade humana dentro de seus territórios, consequência do abrandamento da legislação e ausência de fiscalização para exploração“, explica Marcos Vinícius Quizadas de Lima, coordenador de geoprocessamento na Synergia e responsável pela análise. 

“Mas não parece ser o caso quando se olha para o recorte específico desse estudo, já que essas são áreas protegidas que na totalidade abrigam grande biodiversidade, riquíssima cultura e importantes contextos sociais”, salienta Lima.  

Terra índigena Yanomami

Manchetes dos principais jornais do país destacaram, há algumas semanas, o crescimento dos conflitos entre garimpeiros ilegais e populações indígenas, inclusive com sequestro e morte violenta de uma criança Yanomami de 11 anos.

O relatório da Synergia também se destaca essa terra, indicando que a terra indígena Yanomami figura entre as quatro com maior concentração de focos de incêndio no primeiro trimestre. 

Esses focos foram registrados próximos à fronteira com a Venezuela, território palco de intensas investidas de garimpos ilegais

Maior incidência de focos

A Terra Indígena (TI) Raposa Serra do Sol registrou 154 focos e é, de longe, a região mais afetada, segundo o estudo.

Com histórico de intensos conflitos, esse território é alvo de expansão agrícola irregular, exploração ilegal de madeira e invasão por garimpos ilegais.  

“Para nós, que vivenciamos os desafios amazônicos em nossa atividade profissional, a cada dia torna-se mais urgente alertar sobre esses focos de calor. O que vimos é que apesar de ser um período em que a região da Amazônia Legal está quase na sua totalidade passando por chuvas intensas, o primeiro trimestre já indica que 2022 apresentará um cenário de intensas queimadas e desmatamento se não houver reforço das políticas de fiscalização, controle do desmatamento e do combate a incêndio”, conclui Lima. 

Baixar PDF

Sobre a Synergia Socioambiental 

Fundada em 2005 por Maria Albuquerque, a Synergia é uma consultoria socioambiental que atende os setores público e privado, oferecendo soluções em gestão e prevenção de crises, desenvolvimento social, relações territoriais e gestão de conhecimento.

Atua em todo o território nacional, atendendo às demandas dos segmentos de mineração, siderurgia, indústria petroquímica, gestão pública, agronegócio, agroindústria, saneamento, energia e gestão hídrica.

A consultoria possui o certificado internacional de qualidade ISO:9001, conquistado em 2013, graças à sua capacidade de planejamento, elaboração e execução de programas sociais, urbanos e ambientais.

Já atuou em mais de 127 projetos no Brasil e em Moçambique, envolvendo mais de 1.2 milhão de pessoas. É associada ao Instituto Ethos e membra na modalidade participante do Pacto Global das Nações Unidas.

Site oficial: www.synergiaconsultoria.com.br

Crédito:
Imprensa

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 3164 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL NOTÍCIAS é um canal exclusivo sobre ESG e Sustentabilidade, Economia Circular, Resíduos e Reciclagem, Saneamento, Energias Renováveis (Solar Eólica, Biogás e muito mais). Tudo sobre meio ambiente e tecnologias ambientais, cursos e eventos!