TRILOGIA ODS – GRUPO 2: Objetivos do Desenvolvimento Sustentável que promovem a ‘Conservação ambiental e Sustentabilidade’

softelec
ODS – GRUPO 2: Conservação e Sustentabilidade
ODS – GRUPO 2: Conservação e Sustentabilidade

Imagem: Divulgação | A Trilogia ODS Objetivos do Desenvolvimento Sustentável foi elaborada pelo engenheiro ambiental Reginaldo Almeida, sócio diretor da Ecolbio Consultoria, Assessoria Ambiental e Gestão de Projetos e colunista da AMBIENTAL MERCANTIL

Publicidade
Publicidade
Equipamentos - STADLER GmbH

Março de 2024 – O Grupo 2 da Trilogia ODS Objetivos do Desenvolvimento Sustentável trata exclusivamente das questões ambientais, tendo como foco manter o meio ambiente equilibrado no planeta, visto que as ações e mudanças climáticas têm interferência direta na vida terrestre. Será um desafio para os próximos anos, manter a harmonia no planeta, já que a  população mundial vai precisar fazer um esforço muito grande, pois, restam apenas seis anos para que as metas sustentáveis estabelecidas pelas ODS’s sejam alcançadas.

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – Grupo 2
Conservação ambiental e Sustentabilidade

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) relacionados ao Grupo 2, Conservação Ambiental e Sustentabilidade, são:

ODS6: Garantir disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos.
ODS7: Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos.
ODS9: Construir infraestrutura resiliente, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação.
ODS11: Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.
ODS12: Assegurar padrões de Produção e Consumo sustentáveis.
ODS13: Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos.
ODS14: Conservar e utilizar de forma sustentável os oceanos, os mares e os recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.
ODS 15: Proteger, restaurar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda da biodiversidade.

Os eventos climáticos extremos tem sido cada vez mais constantes,  tornando-se um problema para a humanidade,  afetando o cotidiano das pessoas, causando perdas materiais, danos ao meio ambiente e risco à saúde.

Os principais causadores desses eventos são o El Niño e o La Niña, fenômenos naturais, de ações antrópicas do aquecimento global, aumentando a intensidade deles, poluindo e potencializando os Gases de Efeito Estufa – GEE.

O El Niño consiste no aquecimento anormal das águas superficiais do Oceano Pacífico Equatorial, causando o enfraquecimento dos ventos alísios. O La Niña  caracteriza-se  pelo resfriamento anormal das águas superficiais do Oceano Pacífico Equatorial, e  ambos costumam ocorrer em intervalos de dois a sete anos.

Ultimamente, temos visto, eventos extremos em diversas parte do globo terrestre, como temperatura anormal, terremotos, contaminações químicas, erosão costeira, invasão de espécies, erupções vulcânicas, ciclones, secas, inundações dentre outros, causando vários problemas para a população mundial.

Na COP28 (Conferência das Partes – países que assinaram o acordo climático originada ONU, em 1992), realizada no Emirados Árabes, foi tomada uma decisão que estabeleceu a transição energética para eliminação dos combustíveis fósseis até o ano de 2050, como objetivo de neutralização carbônica e manutenção da  temperatura global  em 1,5 graus celsius.

Conclui-se, que as metas indicadoras estabelecidas para o Grupo 2 – Conservação Ambiental e Sustentabilidade, não serão alcançadas, pois, com o resto de tempo que falta para conclusão da ODS’s, muitas das ações tomadas pelos governantes e a sociedade civil,  não terão um resultado satisfatório para redução do aquecimento global e dos gases do efeito estufa.

Sobre o Autor

Reginaldo Almeida é Engenheiro Ambiental e colunista do canal AMBIENTAL MERCANTIL com publicações periódicas na sua coluna exclusiva ‘"Fortalecendo a Sustentabilidade"
Reginaldo Almeida,
Engenheiro Ambiental

Reginaldo Almeida é engenheiro sanitarista ambiental. É sócio e diretor técnico na Ecolbio – Consultoria, Assessoria Ambiental e Gestão de Projetos, empresa especializada em consultoria e gestão de projetos sustentáveis para empresas e organizações. Atuando como consultor e auditor ambiental. Referências e links:
Linkedin | Ecolbio Consultoria |Entrevista
Escreve periodicamente artigos na sua coluna
Fortalecendo a Sustentabilidade

Temas Relacionados

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 5026 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL é sobre ESG, Sustentabilidade, Economia Circular, Resíduos, Reciclagem, Saneamento, Energias e muito mais!