Imagem: Divulgação | Por Simone Horvatin, em contribuição a AMBIENTAL MERCANTIL

Os painéis solares têm sua origem nos designs fotovoltaicos desenvolvidos pelo físico francês Alexandre-Edmunde Becquerel em 1839. No entanto, foi somente em 1883 que o americano Charles Fritts produziu a primeira célula solar rudimentar 1. A energia solar, tal como a conhecemos hoje, teve um marco importante em 1954, quando Russell Shoemaker Ohl anunciou a criação da primeira célula fotovoltaica durante uma reunião da National Academy of Sciences. Foi a partir desse momento que se deu o início da utilização prática dos painéis solares, que se popularizaram a partir de 1958.

O que é energia solar fotovoltaica?

A energia solar é a energia que é gerada a partir da luz do sol. A energia solar pode ser convertida em energia elétrica por meio do uso de painéis solares fotovoltaicos ou em energia térmica por meio do uso de coletores solares térmicos. Os painéis solares fotovoltaicos convertem a luz solar diretamente em eletricidade por meio do efeito fotovoltaico, enquanto os coletores solares térmicos usam a luz solar para aquecer um fluido que pode ser usado para aquecer água ou ar.

A energia solar fotovoltaica é uma forma de energia renovável que converte a luz solar em eletricidade utilizando células fotovoltaicas. As células fotovoltaicas são feitas de materiais semicondutores, como o silício, que absorvem os fótons de luz solar e os transformam em corrente elétrica. Quando a luz solar incide sobre as células fotovoltaicas, ocorre o efeito fotovoltaico, gerando uma corrente contínua. Essa corrente pode ser usada diretamente para alimentar dispositivos elétricos ou ser convertida em corrente alternada por meio de um inversor para alimentar a rede elétrica ou carregar baterias. A energia solar fotovoltaica é uma fonte limpa e sustentável de eletricidade, livre de emissões de gases de efeito estufa e contribui para a redução da dependência de combustíveis fósseis.

Como os painéis solares fotovoltaicos funcionam?

Os painéis solares fotovoltaicos são compostos por células fotovoltaicas que convertem a luz solar em eletricidade. Cada célula fotovoltaica é feita de materiais semicondutores, geralmente silício, que possuem propriedades que permitem a geração de corrente elétrica quando expostos à luz solar.

Quando os raios solares atingem os painéis solares, fótons de luz são absorvidos pelo material semicondutor. Esse processo excita os elétrons presentes nos átomos do material, fazendo com que eles se libertem de suas órbitas e gerem um fluxo de elétrons em uma direção específica. Esse fluxo de elétrons é o que chamamos de corrente elétrica contínua.

Os painéis solares são conectados em série e em paralelo para formar um arranjo conhecido como “array” ou “campo solar”. A quantidade de energia elétrica produzida pelos painéis solares depende da intensidade da luz solar, do ângulo de incidência dos raios solares, da eficiência das células fotovoltaicas e da área total dos painéis.

A corrente elétrica gerada pelos painéis solares é tipicamente em corrente contínua (DC). No entanto, na maioria dos casos, a eletricidade utilizada em residências e empresas é em corrente alternada (AC). Para tornar a energia solar utilizável, um inversor é usado para converter a corrente contínua em corrente alternada, que pode ser usada para alimentar dispositivos elétricos ou ser enviada para a rede elétrica.

Os sistemas de painéis solares também podem ser conectados a baterias para armazenar o excesso de energia gerada durante o dia e utilizá-la durante a noite ou em momentos de baixa geração solar. Isso permite uma maior autonomia energética e a possibilidade de usar a energia solar mesmo quando o sol não está brilhando intensamente.

Em resumo, os painéis solares fotovoltaicos funcionam convertendo a luz solar em eletricidade por meio de células fotovoltaicas, permitindo o aproveitamento de uma fonte limpa e renovável de energia.

O que é um painel solar fotovoltaico?

Um painel solar fotovoltaico, também conhecido como módulo solar fotovoltaico, é um dispositivo que converte a luz solar em eletricidade por meio do efeito fotovoltaico. Ele é composto por várias células fotovoltaicas interconectadas e encapsuladas em um material protetor, geralmente vidro temperado, para formar uma estrutura plana.

Cada célula fotovoltaica é feita de materiais semicondutores, como o silício, que possuem propriedades elétricas especiais. Quando a luz solar incide sobre as células fotovoltaicas, os fótons de luz são absorvidos pelo material semicondutor, criando um fluxo de elétrons que gera uma corrente elétrica contínua.

Os painéis solares fotovoltaicos são projetados para capturar a maior quantidade possível de luz solar e convertê-la em eletricidade de forma eficiente. Eles são fabricados em diferentes tamanhos e potências, e podem ser instalados em telhados, fachadas de edifícios, estruturas montadas no solo ou em qualquer outra superfície exposta ao sol.

Esses painéis solares são parte fundamental dos sistemas de energia solar fotovoltaica, que podem ser utilizados em residências, empresas e instalações comerciais para gerar eletricidade limpa e renovável. Além disso, os painéis solares fotovoltaicos também podem ser integrados a sistemas de armazenamento de energia, como baterias, para garantir um fornecimento contínuo de eletricidade mesmo quando não há luz solar disponível.

Os painéis solares fotovoltaicos são uma tecnologia cada vez mais comum e acessível, permitindo que mais pessoas aproveitem os benefícios da energia solar, como a redução das contas de energia, a independência energética e a contribuição para a preservação do meio ambiente, ao evitar a emissão de gases de efeito estufa.

Qual é a diferença entre os painéis solares de silício policristalino e monocristalino?

Os painéis solares de silício policristalino e monocristalino são dois tipos comuns de painéis solares fotovoltaicos, e suas principais diferenças estão relacionadas ao processo de fabricação e eficiência.

Os painéis solares de silício policristalino são feitos a partir de silício fundido em moldes retangulares. Durante o resfriamento, o silício se solidifica em vários cristais menores, formando uma estrutura policristalina. Esses painéis têm uma aparência característica, com uma coloração azulada devido aos diferentes tamanhos de cristais. Os painéis de silício policristalino geralmente têm uma eficiência um pouco menor em comparação aos painéis de silício monocristalino.

Já os painéis solares de silício monocristalino são produzidos a partir de um único cristal contínuo de silício. O processo de fabricação envolve a extração de um cilindro sólido de silício monocristalino, que é então cortado em fatias finas, resultando em células fotovoltaicas individuais. Os painéis de silício monocristalino têm uma aparência uniforme, com uma coloração preta ou azul escura. Geralmente, eles possuem uma eficiência um pouco maior em comparação aos painéis de silício policristalino.

Em termos de desempenho, os painéis solares de silício monocristalino costumam ser mais eficientes na conversão da luz solar em eletricidade, o que significa que eles podem gerar mais eletricidade para uma determinada área de instalação em comparação aos painéis de silício policristalino. No entanto, essa diferença de eficiência não é tão significativa em condições normais de uso e pode variar dependendo do fabricante e das especificações técnicas dos painéis.

Em relação ao custo, os painéis de silício policristalino tendem a ser mais acessíveis, pois o processo de fabricação é mais simples e permite uma produção em maior escala. Por outro lado, os painéis de silício monocristalino costumam ter um preço um pouco mais alto devido ao processo de fabricação mais complexo e ao maior rendimento de energia.

Ao escolher entre painéis solares de silício policristalino e monocristalino, é importante considerar as necessidades específicas do projeto, o espaço disponível para a instalação e o orçamento disponível. Ambos os tipos são eficazes na geração de energia solar e contribuem para a redução das contas de energia e a sustentabilidade ambiental.

Os painéis solares monocristalinos e policristalinos são dois tipos comuns de painéis fotovoltaicos que convertem a energia solar em eletricidade. Ambos são feitos de silício, um material semicondutor, mas têm algumas diferenças em termos de eficiência, aparência e custo.

Há ainda os painéis de película fina e o OPVcélulas fotovoltaicas orgânicas, fabricadas pelo processo conhecido como Roll to Roll (com eficiência estimada de até 11%). Os painéis de película fina são feitos a partir de materiais como o silício amorfo, o telureto de cádmio e o disseleneto de cobre e índio (CIGS) e são menos eficientes que os outros dois tipos.

PAINÉIS SOLARES
MONOCRISTALINOS
PAINÉIS SOLARES POLICRISTALINOS
Monocristalino significa “um único cristal” de silício, de alta pureza. Por ser mais puro é mais eficiente na conversão da energia solar em eletricidadePolicristalino significa “muitos cristais” de silício fundidos juntos.
Os painéis monocristalinos são feitos de um único cristal de silício, por isso são mais uniformes e escuros (preto ou azul escuro), consequentemente são mais eficientes em termos de conversão de energia solar em eletricidade do que os painéis solares policristalinos;Os painéis policristalinos são feitos de múltiplos vários cristais de silício fundidos juntos, por isso são mais granulados e azulados na aparência. São também menos eficientes na conversão de energia solar em eletricidade que os painéis solares monocristalinos.
A eficiência na produção de eletricidade dos painéis solares monocristalinos pode chegar a até 22%. A eficiência pode ser medida em condições ideais de luz solar: os painéis monocristalinos têm uma maior eficiência, o que significa que podem produzir mais eletricidade em um espaço menor, em comparação com os painéis policristalinos. Para instalações pequenas, os painéis monocristalinos podem ser uma opção mais adequada, mesmo com um custo inicial mais alto, porque produz mais eletricidade. Os painéis policristalinos têm uma eficiência ligeiramente inferior, variando de 15% a 20%.
Os painéis monocristalinos são conhecidos por sua aparência mais uniforme e escura, o que pode ser considerado esteticamente mais atraente para alguns geradores de sua própria energia. A estética é uma consideração subjetiva, de gerador para gerador de sua própria energia. Os painéis policristalinos, que têm uma aparência mais granulada e azulada.
Os painéis solares monocristalinos são geralmente mais caros do que os painéis policristalinos devido ao processo de fabricação mais complexo que envolve a criação de um único cristal de silício.São mais baratos que os painéis solares monocristalinos. Os painéis solares policristalinos são mais acessíveis e adequados para aplicações em que o espaço não é um fator crítico e a eficiência não é a principal prioridade.
Tem menor tolerância à sombra.
Os painéis monocristalinos também têm uma vantagem em termos de desempenho em condições de baixa luz, como em dias nublados ou quando há sombreamento parcial nos painéis. Os painéis monocristalinos tendem a ter um desempenho melhor do que os painéis policristalinos nessas condições, produzindo mais eletricidade.
Tem maior tolerância à sombra.
São mais duráveis, maior vida útil.
O *preço médio de uma placa solar de silício monocristalino PERC (355 W a 440 W) é de US$ 0,264/Watt1.O *preço médio de uma placa solar de silício policristalino (275 W a 335 W) é de US$ 0,235/Watt (fonte: Portal Solar)

* Os preços variam de acordo com tipo e potência, fabricante e empresa fornecedora autorizada. É importante considerar outros custos associados à instalação completa de um sistema solar.

>>>PÁGINA 2>>>

TUDO SOBRE MEIO AMBIENTE, ENERGIAS E SUSTENTABILIDADE

Foto: Ricardo Stuckert/PR
CHUVAS | INUNDAÇÕES

CNI, SESI e SENAI coordenam ações de doações da indústria e federações anunciam ajuda de R$ 65 milhões ao Rio Grande do Sul

A Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Serviço Social da Indústria (SESI) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) criaram um núcleo especial de ações para arrecadar itens essenciais e coordenar doações da indústria para a população do Rio Grande do Sul, que enfrenta desde a semana passada a pior enchente de todos os tempos no estado. Coordenado pela CNI, o grupo instituiu três fases de ajuda: assistência inicial, ações de restabelecimento e ações de reconstrução. […]

Foto: A ONG Biosaneamento, em conjunto com a Amazon e Água Camelo, enviou 50 filtros de água para o estado do Rio Grande do Sul.
ÁGUAS

Ação da Biosaneamento reúne filtros de água para os afetados pelas enchentes no RS

Emação para diminuir a aflição da população do Rio Grande do Sul, que sofre com desabastecimento de água por causa das enchentes, a ONG Biosaneamento, em conjunto com a Amazon e Água Camelo, enviou 50 filtros de água para o estado. O filtro limpa a água barrenta dos rios para consumo imediato. Cada filtro produz mil litros por hora e, juntos, tem o potencial de potabilizar até 1,2 milhão de litros de água por dia. […]

Foto: Ricardo De Mattos - Rebecca Tavares, CEO da BrazilFoundation
CHUVAS | INUNDAÇÕES

Fundo Luz Alliance, criado por Gisele Bündchen em parceria com a Brazil Foundation, arrecada quase US$ 230 mil para apoiar afetados pelas enchentes no RS

Dedicado a atender projetos socioambientais, o Fundo Luz Alliance, parceria entre Gisele Bündchen e a Brazil Foundation, que promove filantropia estratégica no Brasil, já arrecadou US$ 228 mil para apoiar as milhares de famílias afetadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul. Desde o último fim de semana, a iniciativa recebeu mais de 7 mil doações realizadas no Brasil e nos EUA, para o Rio Grande do Sul, que enfrenta consequências devastadoras em decorrência das fortes chuvas. […]

Foto: Ricardo Stuckert/PR
CHUVAS | INUNDAÇÕES

CNI e FIERGS propõem medidas para facilitar o comércio exterior e acelerar ajuda à população do Rio Grande do Sul

O estado do Rio Grande do Sul tem segunda maior concentração de empresas exportadoras do país. Medidas são para garantir o abastecimento de produtos essenciais. A indústria avalia que o governo deve estabelecer mecanismo de financiamento emergencial, carência e renegociação voltado ao capital de giro, que possibilite a retomada das atividades das empresas exportadoras afetadas pelo desastre natural. Para a indústria, a ação conjunta dos setores público e privado é fundamental para uma resposta eficaz e resiliente à calamidade enfrentada pelo Rio Grande do Sul, que causou impacto em todas as áreas: social, de infraestrutura e econômica. […]

Foto: ©Heineken Posto de Água Potável em Porto Alegre, Rio Grande do Sul
ÁGUAS

Estação de chope da HEINEKEN vira ponto de distribuição de água potável para a população de Porto Alegre

Com o objetivo de ampliar o suporte às pessoas afetadas pelas chuvas no Rio Grande do Sul, o Grupo HEINEKEN disponibilizou sua Beer Station (famosa estação móvel de chope da marca) para distribuição de água potável para a população de Porto Alegre. A ação teve início no dia (08), em parceria com a Defesa Civil. O ponto de distribuição pode alterar de acordo com a facilidade de acesso das pessoas. O reabastecimento contínuo da estação de chope será realizado na cervejaria de Igrejinha. […]

Luciana Figueras é Advogada, Cientista Política e Colunista do editorial AMBIENTAL MERCANTIL RESÍDUOS E RECICLAGEM
GÁS, PETRÓLEO E DERIVADOS

Reciclagem por quem faz #8: No dia internacional da Reciclagem, conheça as oportunidades no setor de Óleo e Gás

Luciana Figueras é colunista e colaboradora do editorial AMBIENTAL MERCANTIL RESÍDUOS E RECICLAGEM. Através da sua observação pessoal, escreve periodicamente sobre o que acontece nos setores de gestão de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) e Reciclagem. Neste artigo, contribuiu como coautora, a Adv. Ana Tereza Marques Parente, Sócia da Área de Sustentabilidade e Meio Ambiente do escritório Rennó Penteado Sampaio Advogados. Pesquisadora da SAGE/Coppe/UFRJ sobre descomissionamento da indústria do óleo e gás. […]

©Solfácil
ENERGIA RENOVÁVEL

Energia solar no Brasil fica 5% mais barata no 1º trimestre de 2024, aponta Solfácil

O preço da energia solar no Brasil caiu 5% no primeiro trimestre de 2024, em comparação com o quarto trimestre de 2023. O novo valor médio é de R$ 2,76/Wp, o menor preço já registrado desde o início do indicador Radar, estudo que acompanha a evolução dos preços da energia solar no país da Solfácil, maior ecossistema de soluções solares da América Latina. A queda foi motivada pela redução no preço do polisilício, principal matéria-prima para produção de placas solares. […]

Foto: Agência Nacional de Águas e Saneamento ANA
ÁGUAS | EFLUENTES

ANA publica norma de referência sobre universalização dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário

Norma de Referência nº 08/2024 entra em vigor em 20 de maio e contém diretrizes para universalização desses serviços e sua comprovação. O documento aborda diretrizes para as metas progressivas para universalização do abastecimento de água e do esgotamento sanitário, indicadores de acesso e sistemas de avaliação. O novo marco legal do saneamento, a Lei nº 14.026/2020, estabelece as metas de atendimento de 99% da população com água potável e de 90% com coleta e tratamento de esgotos até 31 de dezembro de 2033. […]

ENERGIAS | SETOR ELÉTRICO

FIEC abre inscrições para o FIEC SUMMIT  2024

O evento é uma realização da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), que espera reunir mais de cinco mil pessoas durante os dois dias, além da transmissão online ao vivo. A programação acontecerá em três auditórios com capacidade para painéis simultâneos. Uma das características marcantes do evento será a exposição de diversos segmentos relacionados à cadeia do hidrogênio verde, oferecendo uma oportunidade única para networking e troca de experiências entre os presentes. […]

Foto: Julia Stadler, Chefe Digital, Rok Mežič, Diretor de Desenvolvimento e Willi Stadler, CEO
ECONOMIA CIRCULAR

A STADLER delineia a estratégia para o futuro da triagem e reciclagem e apresenta as últimas inovações na IFAT

STADLER lança na IFAT Munich WireX, máquina que usa sistemas de detecção de arames e medição de fardos especialmente projetados, que contam com IA e tecnologia de sensores para determinar se a amarração é simples ou dupla e para posicionar o fardo com precisão para remover o arame com eficiência em uma passagem. Isto automatiza e acelera totalmente o processo, atingindo uma capacidade extraordinária de até 60 fardos/h (com amarração simples). O WireX é rápido, eficiente e seguro, e aumenta significativamente a capacidade da linha de triagem. […]

Foto: ©Jadlog
CHUVAS | INUNDAÇÕES

Unidades e franquias Jadlog recebem doações para as vítimas do Rio Grande do Sul

Com o intuito de ajudar as vítimas das chuvas no Rio Grande do Sul, a Jadlog, uma das maiores empresas de transportes de cargas fracionadas do Brasil e uma das principais operadoras logísticas do comércio eletrônico, estruturou uma grande operação para receber e enviar doações para o estado gaúcho. Desta maneira, desde o dia (06/05), as mais de 500 franquias e 17 filiais da Jadlog espalhadas pelo País, bem como a matriz, em São Paulo, estão habilitadas a receber as doações, que serão transportadas para o Rio Grande do Sul sem custo para os doadores. […]

Foto: Da esquerda para direita: Representante do presidente do PNUD no Brasil, Claudio Providas; presidente do BNDES, Aloizio Mercadante; presidente da Intosai e do TCU, ministro Bruno Dantas; diretor Jurídico do BNDES, Walter Baère; diretor de Compliance e Risco, Luiz Navarro.
MEIO AMBIENTE

BNDES apoiará ferramenta para ajudar órgãos de controle a monitorar ações sobre mudanças climáticas

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) formalizaram um Engagement Facility, documento por meio do qual o Banco se compromete a apoiar com até US$ 1 milhão a etapa de conclusão do ClimateScanner, ferramenta para monitoramento das políticas públicas sobre mudanças climáticas desenvolvida pela Organização Internacional de Entidades Fiscalizadoras Superiores (Intosai, na sigla em inglês), que reúne 195 órgãos de controle do mundo e está, neste momento, sob a presidência do Brasil, conduzida pelo Tribunal de Contas da União (TCU). […]

ECONOMIA DE CARBONO

Aumento na conscientização das empresas faz neutralização de gases do efeito estufa avançar

No mundo todo, a neutralização de carbono está emergindo como uma prioridade para enfrentar os desafios das mudanças climáticas e promover um futuro mais resiliente e sustentável para nós e as futuras gerações. Há uma conscientização cada vez maior do quanto esses gases são prejudiciais ao meio ambiente. Para se ter uma ideia, o número de companhias que reportam suas emissões de carbono é maior a cada ano. De acordo com o Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas (FGVces), 434 organizações publicaram inventário de gases de efeito estufa no ano passado. A quantidade é 42% maior do que em 2022, quando 305 organizações fizeram a publicação. […]

Foto: Presidente da Fiec, Ricardo Cavalcante e Sebastián Delgui, Gerente de Comunidade e Desempenho Social na Fortescue América Latina.
ECONOMIA DE CARBONO

Fortescue e FIEC firmam parceria para impulsionar cadeia de valor do H2V e economia verde no Ceará

Em um movimento estratégico para fortalecer o desenvolvimento da cadeia de valor do hidrogênio verde (H2V) no Estado do Ceará, a empresa global de energia verde e tecnologia Fortescue, a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), por meio do seu Serviço Social da Indústria (SESI) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), anunciaram, na terça-feira (07/05), uma parceria que visa estabelecer um grupo de trabalho dedicado a desenvolver iniciativas de apoio à geração de empregos e qualificação de trabalhadores nos setores ligados à energia renovável e economia verde. […]

Foto: ©Glass Is Good® - Pontos de Entrega Voluntária
ECONOMIA CIRCULAR

Glass Is Good® e programa Vidro Vira Vidro recuperam mais de 2,9 milhões de embalagens

o Glass Is Good®, programa de logística reversa de embalagem de vidro pós-consumo da Associação Brasileira de Bebidas – ABRABE, juntou-se à Massfix, empresa do setor de reciclagem líder da América Latina, e à Verallia, terceiro produtor mundial de embalagens de vidro para bebidas e alimentos, na parceria com o Vidro Vira Vidro, uma iniciativa da multinacional francesa que tem o objetivo de ampliar a logística reversa de embalagens de vidro no Brasil. O programa busca fortalecer a estratégia de implementação desses equipamentos de coleta para a recuperação do vidro. Neste ano, a parceria já realizou a instalação de 372 PEVs distribuídos em quatro estados. […]

©Azul Linhas Aéreas
CHUVAS | INUNDAÇÕES

Azul recebe doações para o Rio Grande do Sul em 160 aeroportos e nas lojas da Azul Viagens

Companhia aérea montou postos de arrecadação em todas as suas bases e nas mais de 100 lojas da operadora de Turismo pelo país. Os materiais coletados serão transportados diretamente para o Rio Grande do Sul por aeronaves da Azul. Com uma frota diversificada, que abrange desde Cessna Grand Caravan até aeronaves dos modelos Airbus, a companhia tem a agilidade necessária para alcançar cidades menores e facilitar a logística de coleta e entrega das doações em diferentes partes do país. […]

Foto: ©Power2Go - Ponto de Recarga
BATERIAS | CARREGADORES

Carro elétrico vira desafio para condomínios residenciais

Discussão sobre o carregamento elétrico em condomínios ganhou urgência. Muitas montadoras estão entregando seus carros com os carregadores, mas existe um longo caminho entre a aquisição do veículo e a instalação com segurança em espaços compartilhados como as garagens dos condomínios residenciais e comerciais. Instalação de pontos de recarga pode demandar investimento, principalmente se o prédio tiver estrutura elétrica que precisa ser atualizada. […]

CHUVAS | INUNDAÇÕES

Petrobras doará R$ 5,6 milhões para auxílio a vítimas das chuvas no Rio Grande do Sul

A Petrobras aprovou, na segunda-feira (06/5), uma doação no valor de R$ 5,6 milhões para apoio à população de Canoas e Esteio, atingida pela emergência causada pelas chuvas no Rio Grande do Sul (RS). O montante será destinado ao Movimento União BR, por meio do Instituto da Criança, uma organização sem fins lucrativos, para aquisição de itens de primeira necessidade, tais como cestas básicas e eletrodomésticos, entre outros, para atendimento às vítimas. […]

A promoção da inovação na Amazônia Legal com foco na bioeconomia foi o tema principal da Conferência Inova Amazônia, que aconteceu nos dias 9 e 10 de maio, em Manaus.
AMAZÔNIA

Sebrae apresentou soluções da bioeconomia para a COP30

Pela primeira vez, o Sebrae apresentou ao mundo soluções efetivas de sustentabilidade que servirão de exemplo na COP30. A promoção da inovação na Amazônia Legal com foco na bioeconomia foi o tema principal da Conferência Inova Amazônia, que aconteceu nos dias 9 e 10 de maio, em Manaus. Na abertura do evento, promovido pelo Sebrae, contou com o presidente Décio Lima, o diretor-técnico Bruno Quick e a diretora de Administração e Finanças Margarete Coelho. […]

Análise da transição elétrica da UE pela Ember em 2023: o que aconteceu em 2023 e o que podemos esperar em 2024?
ENERGIA RENOVÁVEL

BAIXAR PDF: De acordo com a Ember Climate, Brasil é segundo país do mundo em crescimento de energia eólica em 2023

Em 2023, o crescimento da energia solar e eólica levou o mundo a superar a marca de 30% de eletricidade renovável pela primeira vez, de acordo com o novo relatório do think tank global de energia Ember. Destaque na análise, o Brasil gerou 89% de sua eletricidade a partir de fontes renováveis no ano, quase três vezes a média global, e registrou o segundo maior crescimento em energia eólica do mundo, atrás apenas da China. […]

Fundamentos da Transição Energética, 212 páginas - Editora Lumen Juris
AQUECIMENTO GLOBAL

Mudanças climáticas: Como chuvas e calor extremos, serão cada vez mais frequentes é são o maior desafio deste século

A transição energética é um processo fundamental para enfrentar os desafios globais relacionados à segurança energética e à sustentabilidade. Não é a toa que o aquecimento global, responsável pelas mudanças climáticas, representa uma nova perspectiva para todos, seja no exercício de suas profissões ou na rotina diária. Os seus efeitos são claramente percebidos na economia e na vida cotidiana, afetando a forma como a sociedade vive, se locomove e os produtos que ela consome. Especialista em transição energética lança livro sobre o tema no RJ e SP, nos dias 15 de maio e 04 de junho, respectivamente. […]