Projeto de alunos de escola pública da Grande São Paulo transforma comunidade através da Economia Circular

softelec

Imagem: Divulgação

  • O projeto já permitiu que alunos visitassem outras cidades do Brasil e da América do sul.
  • RecycleWays foi o vencedor da primeira edição do Desafio Circular SP 2022, iniciativa do Movimento Circular para promover um mundo sem lixo.
Publicidade
Publicidade
AMBIENTAL MERCANTIL

Dezembro de 2022 – O RecycleWays, projeto de alunos da Escola Técnica Estadual (Etec) de Francisco Morato, na Grande São Paulo, tem conseguido mudar a realidade dos estudantes e engajar a comunidade ao promover a Economia Circular na prática e utilizar os recursos gerados no desenvolvimento dos jovens.

A iniciativa mobiliza os estudantes para a reciclagem de resíduos como óleo de cozinha, metal, plástico e lixo eletrônico. Apenas este ano, o projeto arrecadou R$ 67 mil, sendo R$ 35 mil fruto da venda dos materiais reciclados. Com os recursos, a iniciativa já levou alunos e educadores para duas viagens internacionais. Além de promover o cuidado com o meio ambiente, reduzindo a produção de resíduos por meio da logística reversa.

Com o projeto RecycleWays, os alunos da Etec de Francisco Morato, orientados pelo professor Wagner Vieira, venceram a primeira edição do Desafio Circular SP 2022, iniciativa do Movimento Circular para promover um mundo sem lixo, em parceria com a Dow Brasil e a Coopercaps, com apoio do Centro Paula Souza e governo de São Paulo. O concurso estimula a adoção de soluções práticas que utilizam o conceito de Economia Circular, voltado para projetos de alunos do 9º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio, de escolas públicas e privadas.

A cidade periférica que faz parte da Bacia do Rio Juqueri tem muitos desafios sociais e foi diante deles que tudo começou. A ideia surgiu em 2015, quando a escola percebeu que muitos estudantes não conseguiam custear uma visita técnica simples ao porto de Santos, que é parte do programa de Logística.

“Pensamos o que poderíamos fazer para incluir esses alunos e foi quando chegamos justamente à logística reversa para a sustentabilidade. Decidimos que iríamos pagar a visita com óleo de cozinha usado, que seria vendido”, explica o professor Wagner Vieira.

A comunidade de Francisco Morato abraçou a causa, os moradores doaram os resíduos e as empresas compraram os recicláveis. Foi assim que o projeto não parou mais de crescer e conseguiu ir muito além do porto de Santos. Desde então, o projeto já permitiu que mais de 500 estudantes de famílias de baixa renda conhecessem outros lugares e vivenciassem na prática atividades profissionais de reciclagem.

Em 2019, por exemplo, 42 alunos e sete professores envolvidos com a iniciativa de Economia Circular viajaram à Argentina e ao Paraguai. No início deste mês, outra viagem foi realizada para os dois países por uma comitiva de 54 pessoas, entre estudantes e educadores.

Segundo os alunos, este ano o RecycleWays ganhou a versão 2.0, que inclui um novo e maior espaço para a seleção e separação dos reciclados e uma quantidade maior de materiais. Para eles, a meta do projeto está alcançada, os participantes saem transformados da experiência e prontos para transformar o mundo através da Economia Circular.

“Os estudantes do RecycleWays fazem exatamente o que está na essência da proposta que o Movimento Circular quer levar para o mundo, que é educar sobre Economia Circular para conseguir transformar a realidade. Eles mostram o quanto a educação para a Economia Circular pode gerar transformações significativas, quando há engajamento de toda a comunidade”, diz Vinicius Saraceni, coordenador do Movimento Circular.

Crédito: Divulgação

Prêmio

O projeto vencedor do Desafio Circular foi premiado com mentoria para aprimorar a ideia apresentada, além de uma visita ao Pack Studios da Dow (centro de inovação e tecnologia) que fica em Jundiaí, São Paulo, e terá seu material transformado em um vídeo case, com publicação em todos os canais do Movimento Circular, que é hoje a maior iniciativa aberta de Economia Circular da América Latina. A premiação é uma parceria com a Dow Brasil e a Coopercaps, com apoio do Centro Paula Souza e governo de São Paulo.

O concurso recebeu inscrições de projetos de várias cidades do litoral, interior e região metropolitana, entre elas Francisco Morato, Porto Ferreira, Hortolândia, São José do Rio Pardo, Ibiúna, Guarujá, São José dos Campos, Iguape, Monte Aprazível, São Paulo, São Bernardo do Campo, Cubatão e São Caetano do Sul. O programa terá novas edições.

Sobre o Movimento Circular

Criado em 2020, em meio à crise causada pela pandemia de Covid-19, o Movimento Circular é um ecossistema colaborativo que se empenha em incentivar a transição da economia linear para a circular. A ideia de que todo recurso pode ser reaproveitado e transformado é o mote da economia circular, conceito-base do movimento.

O Movimento Circular é uma iniciativa aberta que promove espaços colaborativos com a missão de chegar a mais pessoas e lugares. O movimento tem o objetivo de informar as pessoas e instituições de que um futuro sem lixo é possível a partir da educação e cultura, da adoção de novos comportamentos e do desenvolvimento de novos processos, produtos e atitudes.

Site oficial: https://movimentocircular.io/

Crédito:
Imprensa

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
About Ambiental Mercantil Notícias 5366 Articles
AMBIENTAL MERCANTIL é sobre ESG, Sustentabilidade, Economia Circular, Resíduos, Reciclagem, Saneamento, Energias e muito mais!