Aluguel de usina de energia solar: vale a pena para o seu negócio?

Lucas Cruz, fundador da Cruze
Lucas Cruz, fundador da Cruze

Imagem: Divulgação | Empresas estão investindo em modelo de locação para economizar nas contas e não depender do espaço físico disponível

São Paulo, maio de 2022 — De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), até 2021, o País já contava com 803.9 mil instalações fotovoltaicas conectadas à rede. Ou seja, mais de 800 mil locais estão funcionando com energia solar.

Só em 2021, foram 3.9GW de volume de energia adicionados. E muitos dos clientes usufruindo dessa fonte renovável e econômica de energia são empresas.

Para esse tipo de uso, um dos modelos mais procurados de contrato é o aluguel de usinas de energia solar. É o que afirma Lucas Cruz, engenheiro elétrico e CEO e fundador da Cruze, startup do Piauí com forte atuação no Nordeste e rápida expansão para todo o Brasil.

“Para muitas empresas, alugar usinas é a opção mais assertiva para aderir a essa matriz energética”, explica. As razões, de acordo com o especialista, são principalmente práticas. “A procura por energia solar significa que já existe algum conhecimento sobre as vantagens ambientais e econômicas, o que é ótimo”, afirma. “A escolha pelo aluguel de usinas ao invés da instalação própria é uma questão de praticidade e espaço físico. Nos dois casos, os benefícios se mantêm, mas algumas empresas não conseguiriam instalar e fazer a manutenção dos equipamentos necessários para gerar energia suficiente para suas atividades. As usinas resolvem essa questão”.

Um estudo da Greener aponta que, dentre os negócios que investiram em sistemas fotovoltaicos, a maioria está no varejo: 41%, sendo 29% concentrados em supermercados. O setor de serviços também aparece com 17%, seguido por serviços de saúde com 12%.

De forma geral, são empresas que não costumam ter muito espaço ou orçamento disponível para instalações próprias. O aluguel faz sentido também para comerciantes que atuam em propriedades alugadas ou em prédios, sendo possível compartilhar os custos e a energia recebida em diversos pontos de contato.

Funciona assim: a usina fica em fazendas ou outra região ampla, utilizando milhares de placas fotovoltaicas para transformar a luz solar em energia, que é, então, enviada aos centros urbanos através de linhas de transmissão. Não há qualquer efeito negativo para o meio ambiente durante o processo, resultando em uma fonte de energia 100% limpa e renovável.

Por que energia solar?

Para quem não tem certeza se optar pela energia solar é uma boa ideia, Cruz traz alguns tópicos de interesse ao tema:

“Há uma economia clara e imediata sem a necessidade de investimento inicial, observada principalmente em empresas, uma vez que o uso de energia é naturalmente maior do que em residências”, explica. “Estamos falando de uma economia que varia de 10% a 25% ao ano. É uma mudança que faz diferença no balanço anual”. Lucas também lembra que o preço do aluguel não sofre alterações com mudanças de bandeiras tarifárias, como acontece com a energia elétrica.

Outro ponto de atenção é a sustentabilidade, assunto em alta no mundo empresarial. Empreendedores que estão atentos em relação aos princípios ESG (Governança Social, Ambiental e Corporativa, em tradução livre) são mais valorizados pelo público, pela equipe e por investidores, além de aumentarem a lucratividade e melhorarem os resultados, de acordo com estudos diversos, como da consultoria BCG e do Itaú Asset. Considerando que a energia solar é 100% limpa, ela é a melhor opção de geração de energia disponível no mercado.

“A Agência Internacional de Energia [IEA] confirmou, em 2020, que os painéis fotovoltaicos produzem a energia mais barata do mundo. É a junção perfeita de economia com responsabilidade ambiental. Com os aluguéis de usinas, essas vantagens se unem à praticidade e se mostram ideais para praticamente qualquer empresa, principalmente as que consomem cerca de 10.000 kWh por mês ou mais. A diferença observada nessas situações será significativa”, finaliza o CEO.

Sobre a Cruze

A Cruze é uma startup de energia solar do Piauí com o objetivo de democratizar o uso da energia solar no País. Fundada em 2016 pelo engenheiro eletricista Lucas Cruz, formado na Universidade Federal do Piauí e pela Universidad de Valladolid, na Espanha. Cruz venceu o prêmio Desafio da Sustentabilidade e participou do Movimento Quero-Quero, da Conservation International.

A Cruze foi selecionada como uma das 25 startups do Yunus&Youth Global Fellowship Program. Com mais de mil projetos em operação, a empresa está investindo na construção de usinas solares para aluguel de energia e conta com o serviço de financiamento próprio de projetos, evitando a burocracia dos bancos para aprovar empréstimos para projetos de energia solar e facilitando o acesso à essa matriz energética renovável por todo Brasil.

Site oficial: https://energiacruze.com

Crédito:
Imprensa

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 2910 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL NOTÍCIAS é um canal exclusivo sobre o Meio ambiente e Tecnologias ambientais, ESG e Sustentabilidade, Energias Renováveis (Solar Eólica, Biogás e muito mais), Cursos e Eventos!