Rumo à universalização do saneamento

softelec
Foto: Renato Carlini Camargo
Foto: Renato Carlini Camargo

Imagem: Divulgação | Por Renato Carlini Camargo, Diretor geral da Águas Cuiabá

Publicidade
Publicidade
AMBIENTAL MERCANTIL

Novembro de 2023 – Quando a Águas Cuiabá assumiu os serviços de água e esgoto da capital mato-grossense, em 2017, o objetivo prioritário era garantir que a água tratada chegasse às torneiras de todas as regiões regularizadas do município. Com este foco, planejamento e aportes financeiros robustos, diversas ações foram realizadas. O resultado é que, sobretudo após a entrada em operação da Estação de Tratamento de Água (ETA) Sul, o município passou com relevante tranquilidade por estiagens severas, marcadas por históricas ondas de calor.

Mas é fundamental ter em mente que a disponibilidade de mananciais de água para tratamento e distribuição depende, diretamente, da importância dada ao serviço de esgotamento sanitário doméstico. Ou seja: para ter água na torneira, deve-se investir em esgoto. E é o que estamos fazendo.

Em julho deste ano, juntamente com o Poder Concedente (Prefeitura Municipal), órgão regulador (Arsec), lideranças comunitárias e representantes do legislativo cuiabano, participamos do lançamento das obras de esgoto do bairro Quilombo e entorno. À época, anunciamos a instalação de 23 quilômetros de redes coletoras, em cerca de 50 ruas e avenidas. Muitas dessas vias públicas estão atualmente em obras, entre elas Estevão de Mendonça, Filinto Muller e a própria Miguel Sutil. Assim como no fortalecimento dos sistemas de água, a ampliação da cobertura de esgoto necessita de grande volume de investimentos – e eles também estão sendo feitos.

Os números do saneamento cuiabanos são vultuosos. Em novas redes de coleta de efluentes instaladas, já alcançamos os 450 quilômetros. Quanto às tubulações de abastecimento de água, 100 quilômetros, entre implantações e substituições. Nossa cidade tem novas estações de tratamento, modernizou as já existentes, construiu laboratórios para testes de qualidade, implantou unidade específica para recolhimento das cargas de limpa-fossas e está beneficiando os resíduos (o chamado lodo) do tratamento da água e do esgoto e destinando à utilização da comunidade.

Voltando à região em que há a maior concentração de nossas equipes de obras no momento (bairros Quilombo, Santa Helena, Centro Norte, Jardim Mariana e Duque de Caxias), muitas vezes necessitamos alterar o calendário de escavações, buscando diminuir os impactos no trânsito. As adequações são feitas em alinhamento com a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), sempre em busca de equilibrar o necessário avanço da obra e a manutenção da rotina de quem mora ou trabalha nas localidades. E assim, o saneamento avança em áreas consolidadas, faça chuva ou faça sol.

Cuiabá pode se orgulhar por ter decidido dar prioridade ao saneamento básico e ter permanecido firme nessa visão. Como engenheiro que atua na área há 15 anos, fico feliz em poder contribuir com os trabalhos que levarão a cidade à universalização do saneamento básico quase 10 anos antes do exigido pelo marco legal. Meta já conquistada no serviço de abastecimento de água tratada, agora o município caminha para alçar o mesmo feito no esgoto: chegamos aos 86% de cobertura e seguimos firmes rumo aos 91% estabelecidos para 2024.

Site oficial: https://igua.com.br/cuiaba

Imprensa

Temas relacionados

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
About Ambiental Mercantil Notícias 5375 Articles
AMBIENTAL MERCANTIL é sobre ESG, Sustentabilidade, Economia Circular, Resíduos, Reciclagem, Saneamento, Energias e muito mais!