Governo do Amapá decreta situação de emergência em 13 municípios afetado por apagão após tempestade de raios e e MDR reconheceu essa emergência

Foto: Marcelo Loureiro/ Secom

Governador Waldez Góes assinou, na manhã desta sexta-feira, 6, o decreto Nº 3851 de situação de emergência pactuado com a Defesa Civil Nacional. Medida possibilitará liberação de recursos, mobilização de órgãos e aquisição de equipamentos para viabilizar soluções à crise de energia elétrica.

O governador Waldez Góes assinou, na manhã desta sexta-feira, 6, o decreto Nº 3851/2020, que pactua situação de emergência com a Defesa Civil Nacional, medida que possibilitará a liberação de recursos para o viabilizar soluções urgentes para os problemas relacionados à falta de energia elétrica no Amapá.

O Estado vive um apagão causado por um incêndio na subestação da empresa Isolux, que faz a conexão da rede local ao Sistema Interligado Nacional (SIN). A estrutura fica localizada na zona norte de Macapá.

“Com esse decreto estaremos abrangendo os 13 municípios afetados e nele estão contidas todas as organizações administrativas. Nossa meta é reduzir o impacto na população e concentrar os esforços junto com os demais órgãos”, enfatizou o Góes.

A partir do decreto inicia-se a execução do plano que irá providenciar equipamentos, estrutura logística para que seja reestabelecido e garantido fornecimento de água, através das estações de captação, e, também, através da distribuição por carros pipas em todas as localidades atingidas pela falta de energia.

Toda a documentação foi assinada na presença do secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas Alves, e outros representantes do Estado e da União.

Durante o encontro, foram definidos os objetivos prioritários que deverão balizar no plano de ação:

– Providenciar contratação de geração de energia emergencial para atender áreas críticas;
– Apoiar as cidades afetadas;
– Providenciar logística para distribuição de água potável para a população;
– Providenciar combustível para abastecimento dos serviços contratados;
– Aquisição de hipoclorito para distribuição à população com devida orientação.

MDR reconheceu emergência no Amapá, afetado por apagão após tempestade de raios

Decisão foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União desta sexta-feira (6/11)

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) reconheceu, nesta sexta-feira (6), situação de emergência no Amapá, após ocorrência de tempestade com raios que causou incêndio em uma subestação de Macapá e gerou um apagão na maior parte das cidades do estado.

A medida foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) por procedimento sumário – quando o desastre, público e notório, é considerado de grande intensidade.

Com isso, o governo estadual poderá acessar recursos federais para ações de socorro e assistência à população e para o restabelecimento dos serviços essenciais em áreas afetadas.

O ministro Rogério Marinho determinou a ida ao Amapá do secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, para prestar apoio ao governo estadual e aos municípios afetados, além de estar em contato com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, oferecendo apoio da Defesa Civil para as medidas de restabelecimento.

Lucas acompanha presencialmente o trabalho do comitê de crise, montado pelo estado. “Definimos objetivos e estamos colaborando com a preparação dos planos de trabalho para a liberação de recursos”, descreveu.

“Também estamos assessorando a Defesa Civil estadual nas ações de resposta ao desastre”, informou.

O comitê de crise estabeleceu como objetivos operacionais a solicitação de apoio federal, a contratação de geração de energia emergencial para infraestruturas críticas, a logística de distribuição de água potável, a aquisição de combustível para alimentação de geradores de energia contratados, a aquisição de hipoclorito para distribuição à população e o gerenciamento de compras.

Pela manhã, o governador Waldez Góes assinou decreto estadual que estabeleceu situação de emergência no Amapá. Treze dos 16 municípios estão sem energia e, consequentemente, sem fornecimento de água e oferta regular de serviços de telecomunicações por conta do apagão que atinge o estado desde a última terça-feira.

Em Macapá, só há energia em serviços essenciais, como hospitais. A Prefeitura Municipal decretou estado de calamidade pública na noite desta quinta-feira (5). Falta água encanada, água mineral, gelo e a maioria dos postos de gasolina não tem gerador e não consegue operar.

APOIO FEDERAL

Para obter auxílio material e financeiro da Defesa Civil Nacional, municípios e estados devem elaborar um plano de trabalho e encaminhar ao MDR. A partir dessas informações, equipes técnicas da Sedec avaliam as necessidades e o volume de recursos para o atendimento das demandas.

Crédito:
Portal do Governo do Amapá
Ministério do Desenvolvimento Regional

Sobre Ambiental Mercantil Notícias 689 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL NOTÍCIAS é um canal que promove o meio ambiente, através de tecnologias ambientais e inovações, produtos e serviços de sustentabilidade, nacionais e internacionais.