Reciclagem de Plásticos: tecnologia de sensor da TOMRA separa flocos plásticos, gera resinas recicladas de alta qualidade e dá maior rentabilidade ao reciclador

softelec
Separador e purificador TOMRA para flocos plásticos pós-consumo
Separador e purificador TOMRA para flocos plásticos pós-consumo

Imagem: Divulgação | Por Alberto Piovesan, Gerente Global do Segmento Plásticos na TOMRA Recycling Sorting

  • A produção de materiais plásticos reciclados está longe de satisfazer a demanda atual do mercado e representa grandes desafios para a indústria. Os recentes avanços tecnológicos na triagem e separação dos flocos plásticos contribuem com essa demanda e proporciona às empresas recicladoras vantagens competitivas, em termos de eficiência e rentabilidade.
Publicidade
Publicidade
Equipamentos - STADLER GmbH

Março de 2023 – A indústria do plástico está em transição e enfrenta uma série de desafios e o mais relevante deles é fornecer matéria-prima secundária de alta qualidade e em volumes suficientemente grandes, que possam satisfazer a crescente exigência do mercado. Ao longo das últimas décadas, as taxas de produção de plásticos subiram sem precedentes. Segundo a Plastics Europe, a produção global de plástico atingiu 390,7* milhões de toneladas em 2021, das quais 352,3 MT são de origem virgem (90,2%) e apenas 32,5 MT (8,3%) são de plásticos reciclados pós consumo.

Uma observação mais detalhada da distribuição da produção total de plásticos por tipo, revela que as poliolefinas constituem a sua maior parte, com taxas de produção que atingem aproximadamente 180,5 milhões de MT.

Embora haja uma abundância de plásticos no mercado e se prevê um novo aumento, as taxas de reciclagem permanecem baixas e o acesso aos materiais recicláveis de alta qualidade é limitado.

Em tempos em que as legislações e os objetivos da reciclagem se tornam cada vez mais rigorosos e sensíveis, é fundamental aproveitar todo o potencial de soluções disponíveis e existentes.

Um olhar sobre a situação atual da reciclagem revela que as infraestruturas de gerenciamento de resíduos, passando pela coleta, triagem e reciclagem; são mais desenvolvidas em inúmeros países, mas a capacidade de reciclagem ainda não acompanha a demanda cada vez maior por resinas recicladas.

É necessário um maior investimento, a fim de se estabelecer soluções em escala, para produzir volumes e qualidades necessárias. Graças a solução de separação de flocos plásticos baseadas em sensores da TOMRA, as dificuldades técnicas podem agora ser, felizmente, superadas.

Como parte do processo de reciclagem, a tecnologia de sensor da TOMRA para separação de flocos plásticos auxilia nessa triagem e separa maior quantidade e por tipos de qualidades de flocos de plásticos, como poliolefinas (PO), poli tereftalato de polietileno (PET) e um número crescente de outras variações. Os operadores de usinas de reciclagem que já utilizam a tecnologia de sensor da TOMRA para separação de flocos plásticos já podem captar e recuperar uma quantidade muito maior de matéria-prima, maximizando assim sua lucratividade e rentabilidade.

Grande avanço na qualidade dos materiais recicláveis

A separação de flocos de plásticos não é algo diferente da reciclagem de plásticos. Ela permite a geração de fracções monocromáticas de alta pureza de um determinado tipo de plástico e/ou cor e é a última etapa de depuração antes das fracções alvos irem para a extrusão.

Por isso, é um elemento indispensável no processo de reciclagem e tem um impacto direto na qualidade final e no rendimento dos materiais reciclados.

Até hoje, os separadores de flocos plásticos já estão integrados em numerosas instalações de reciclagem de garrafas em todo o mundo, embora tenham muito mais potencial. Podem também ser utilizados para o tratamento de resíduos plásticos mistos, disponibilizando novos fluxos de matérias-primas e melhorando a qualidade dos materiais recicláveis. Muitas vezes, quando não existem soluções avançadas para separação de flocos, verifica-se que o produto final não tem qualidade, consistindo de uma mistura de diferentes tipos de polímeros e, em alguns casos, múltiplas cores.

Uma vez que uma fração de flocos plásticos contém vários tipos de polímeros distintos, o nível em termos de qualidade é baixo e só poderá ser utilizado para aplicações de nível inferior, as quais a exigência e valor são mínimos.

Foto: Separadores de flocos plásticos TOMRA em usinas de reciclagem

A demanda por matérias-primas secundárias de nível superior, ao contrário: aumenta as metas da usina de reciclagem, estimulando ao mesmo tempo a melhora na qualidade das matérias-primas recuperadas para reciclagem. Além disso, incentiva a economia circular e a sustentabilidade. Com a tecnologia de sensor da TOMRA para separação avançada dos flocos plásticos, os operadores de usinas de reciclagem modernizam tecnicamente seus produtos, e conseguem criar novos canais de lucratividade.

Recuperando grandes volumes de matérias-primas de alta qualidade

Uma empresa de reciclagem de plásticos pode processar mais de 100.000 toneladas de flocos de polímero por ano, dependendo da demanda do mercado e da disponibilidade dos materiais recicláveis. Considerando a recente escassez de materiais atualmente, a adaptabilidade da usina de reciclagem é fundamental para se manter como um negócio rentável. Os fluxos de resíduos disponíveis e as demandas do mercado são, de fato, dinâmicas. Quando a oferta de polímeros recicláveis no mercado é limitada, porém a procura é elevada, os operadores de usinas de reciclagem encontram poucas alternativas. Uma delas é recorrer aos resíduos pós consumo para satisfazer ao mercado, porém estes são mais contaminados. Níveis de pureza são desafios, independente do volume a ser processado e dos tipos de matérias-primas recicláveis.

Por isso, os operadores de usina de reciclagem estão sempre buscando atingir a mais alta qualidade, mesmo que as origens sejam cada vez mais contaminadas.

Em comparação com outras instalações de processamento, os separadores de flocos plásticos da TOMRA são a porta de entrada para superar a instabilidade e flutuação das matérias-primas. Compactos em tamanho, fáceis de instalar e flexíveis em funcionamento, os separadores de flocos plásticos da TOMRA provam ser um bom investimento, tanto para pequenas como para grandes operações.

A separação avançada de flocos plásticos permite processar os níveis de contaminação e as variáveis, sem comprometer a capacidade de reciclagem e os níveis de pureza. Os equipamentos e tecnologias sofisticadas da TOMRA constituem uma parte fundamental do processo de reciclagem, contribuindo para transformar os materiais de entrada de baixa qualidade em flocos de plásticos puros, que preenchem os mais rigorosos níveis de qualidade.

Isto proporciona aos recicladores acesso a materiais que, anteriormente não podiam ser recuperados, tirando o máximo valor das fracções disponíveis.

Foto: Resíduos plásticos mistos para reciclagem

A separação das poliolefinas é um bom exemplo de como criar nova fonte de receita. Ocupando a posição de maior destaque na produção global de plástico, a disponibilidade de PO no mercado é abundante e oferece muitas possibilidades, até porque hoje as indústrias se esforçam por utilizar mais PO reciclados na fabricação de produtos de alta qualidade. 

No entanto, a valoração das poliolefinas recicladas apresentam seus próprios desafios. Enquanto os fardos de PET processados numa instalação de reciclagem consistem principalmente de um material-alvo (PET), os fardos PO são uma combinação de dois outros materiais valiosos: polietileno (PE) e polipropileno (PP).

A proporção por tipo de material na entrada de fardos PO é difícil de se prever e pode mudar a cada fardo.

Um fardo pode ser uma mistura 50/50 de PE e PP, e o seguinte pode ser uma mistura 70/30. Independentemente da composição da entrada, ambos os flocos de PE e PP são identificados com precisão e separados para criar fracções de alta pureza para reciclagem.

A introdução de novos e avançados métodos de separação e purificação de flocos plásticos foi muito aguardada. As infraestruturas de reciclagem não dispunham das tecnologias necessárias para separar o PP do PE de forma economicamente rentável. Os separadores de flocos plásticos menos sofisticados, só purificavam um tipo de qualidade de material e era capaz de remover somente pequenas quantidades de contaminantes, limitando-se sua utilização nas instalações de reciclagem de PET. Além disso, era difícil ou impossível realizar produções em quantidades mais elevadas.

Por exemplo, se uma planta de reciclagem utilizasse separadores de flocos de plásticos menos avançados para processar um fardo de PO composto de 60% PEAD e 40% PP (não considerando outros contaminantes); a alimentação teria de ser separada por esteiras transportadoras, antes de ser triturada.

E isso somente se a quantidade de material fosse significativa o suficiente para permitir uma separação precisa de PE e PP.

Consequentemente, a trituração, lavagem e triagem dos flocos plásticos teriam de acontecer paralelamente, em duas linhas de produção diferentes, aumentando significativamente os custos. Com o objetivo de operar de forma mais rentável, as plantas de reciclagem preferiam processar os materiais em lotes, numa única linha. Os inconvenientes nesta metodologia eram a redução do rendimento na sua totalidade. Além disso, era onerosa devido à manipulação extensiva dos materiais de entrada, como o re-baling, o armazenamento e a mão-de-obra. Estes eram alguns dos principais desafios que impediam a modernização dos PO para recicláveis de melhor qualidade.

Até que, finalmente, os métodos avançados de separação e purificação de flocos plásticos foram introduzidos. As infraestruturas de reciclagem não dispunham da tecnologias para separar o PP do PE – as tecnologias de sensores da TOMRA como os separadores de flocos de plásticos, representa o que há de mais moderno e mudou o cenário do setor. As tecnologias de sensores da TOMRA são capazes de detectar e classificar com precisão as poliolefinas por tipo de polímero, bem como separar por cores, gerando assim, múltiplas fracções ao mesmo tempo.

Foto: A separação baseada em sensores permite identificar com precisão os flocos de PP vermelho e azul

Com a integração da mais avançada tecnologia de separação de flocos plásticos da TOMRA nas centrais de reciclagem, os materiais podem ser triturados e lavados em uma única linha, mesmo antes de entrar no processo de separação dos flocos plásticos. Isto, por sua vez, elimina a necessidade de várias linhas de produção ou de processamento em lote. A adoção desta soluções possibilita aos operadores de usinas de reciclagem um acesso muito maios à quantidades enormes de materiais pós consumo, produzindo assim fracções de rPE e rPP de alta pureza.

Flexibilidade visando rendimentos mais elevados e previsíveis

Os materiais de entrada ainda permanecem complexos. Dependendo dos níveis de contaminação e dos critérios de pureza, muitas vezes são necessárias etapas complementares para purificar a fracção alvo desejada Os operadores de porte menor de reciclagem também podem usufruir da eficiência do sistema, equipando sua instalação com a tecnologia de sensor TOMRA para separar flocos plásticos. Primeiro, porque os separadores de flocos plásticos podem ser facilmente integrados em plantas pré-existentes, requerem pouco espaço em comparação a outros equipamentos de tratamento de resíduos, tornando-o ideal para melhorar as potencialidades de triagem e purificação de linha de reciclagem existente.

Segundo, porque é possível executar múltiplas etapas em uma única unidade de processamento. Isto significa que os operadores de reciclagem podem equilibrar a produção em favor de maiores índices de aproveitamento e níveis de pureza, conforme suas necessidades.

As empresas de reciclagem menores podem ainda se beneficiar da flexibilização processando uma gama mais vasta de materiais, graças à possibilidade de se trabalhar por lotes, na mesma unidade de processamento.

Foto: Painel de Controle fácil de usar, para uma máxima flexibilidade

Já em usinas de reciclagem grandes, que processam grande volume, o panorama é outro. Os gestores podem instalar múltiplos separadores de flocos plásticos em paralelo (modo cascata) para maximizar o processamento, a quantidade e a qualidade, porém sem aumentar os períodos de tempo de operação. O Independentemente da configuração da instalação, os separadores de flocos plásticos da TOMRA oferecem flexibilidade incomparável e alto desempenho e de qualidade segura.

Os resultados da separação são, portanto, previsíveis, bem como a lucratividade da empresa recicladora.

ANUNCIE COM A AMBIENTAL MERCANTIL
AMBIENTAL MERCANTIL | ANUNCIE NO CANAL MAIS AMBIENTAL DO BRASIL
Sobre Ambiental Mercantil Notícias 5024 Artigos
AMBIENTAL MERCANTIL é sobre ESG, Sustentabilidade, Economia Circular, Resíduos, Reciclagem, Saneamento, Energias e muito mais!